PM se passa por ladrão e prende 3 em assalto a residência na zona norte de SP

Dona da casa foi abordada quando chegava de carro; um bandido fugiu

Pedro da Rocha, estadão.com.br

29 de setembro de 2011 | 07h41

SÃO PAULO - De nada adiantou a vigília de um comparsa enquanto outros três assaltantes mantinham uma família refém e recolhiam joias, dinheiro e equipamentos de uma residência na Rua Padre Miguelino, na Vila Rica, zona norte de São Paulo. Três criminosos foram presos pela Polícia Militar na noite do crime, quarta-feira.

A dona da residência foi surpreendida, por volta das 22h20, por quatro criminosos, um deles armado com uma pistola automática, quando chegava em casa de carro. O 2º sargento do 19º Batalhão da Polícia Militar (PM), Júlio César Regatieri, contou que "eles mandaram ela entrar e a fizeram de refém junto com o sogro e a sogra, que também estavam na casa. Iniciaram então uma série de ameaças verbais. Um vizinho viu a ação dos criminosos e nos contactou".

Ao chegarem no local, a PM encontrou um do assaltantes, André Moratori, de 22 anos, vigiando a rua e se comunicando, pelo celular, com um dos seus comparsas, Roger Bruno Clovier, de 18. Ao perceber a aproximação da viatura, Moratori desligou o telefone. "Após o abordarmos, seu celular tocou", relatou Regatieri, "atendi e me passei pelo assaltante. Disse que a polícia já havia ido embora. O objetivo era pegar os bandidos desprevenidos".

Quando os policiais entraram na residência, os criminosos tentaram fugir pelo telhado. Os PMs subiram no topo das casas por uma residência vizinha e surpreenderam os três ladrões. Um deles correu, ignorando o risco de pisar em telhados de fina estrutura, e os policiais não o puderam perseguir pela possibilidade de o chão ceder. O criminoso conseguiu escapar.

Além de Moratori e Clovier, foi preso, com a pistola, Jeferson dos Santos Leme da Costa, de 24 anos. André conseguiu a liberdade provisória há duas semanas, ele cumpria pena por roubo. Com eles foram recuperados cinco joias, seis relógios de pulso, uma máquina fotográfica e R$ 155, levados da residência. O caso foi registrado no 69º Distrito Policial (DP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.