DIVULGAÇÃO/POLÍCIA MILITAR
DIVULGAÇÃO/POLÍCIA MILITAR

PM resgata idosa amarrada pelo filho no interior de SP

A aposentada Lídia Ramos Martins, de 60 anos, foi encontrada com escoriações pelo corpo, no chão do quarto de sua casa, em Gália

CHICO SIQUEIRA, Especial para O Estado

17 de setembro de 2015 | 12h30

FRANCA - A Polícia Militar de Gália, no interior de São Paulo, resgatou uma mulher de 60 anos, portadora de deficiência mental, vítima de maus-tratos praticados pelo próprio filho. A aposentada Lídia Ramos Martins foi encontrada com escoriações pelo corpo e com as mãos amarradas para trás, jogada no chão do quarto de sua casa, na região central de Gália. O filho de Lídia, Marcos Roberto Martins Leal, de 40 anos, alcoólatra, foi detido pelos PMs, após reagir à abordagem policial com uma faca.

"Quando os PMs entraram na casa encontraram a mulher em condições precárias. O quarto estava todo sujo, com baratas, ratos e restos de comida e garrafas de bebidas. A situação era de extrema miséria e vulnerabilidade", contou o sargento Jurandir Ferreira Júnior, comandante da PM na cidade. 

Segundo ele, a PM foi chamada pelo 190 por testemunhas que presenciaram a aposentada gritando com o filho e pedindo ajuda. "O filho estava com uma faca nas mãos e dizia que mataria a mãe se os PMs não fossem embora. Ele reagiu à abordagem e foi detido", contou Júnior.

Segundo ele, Leal é o único responsável por cuidar da mãe, que também é atendida pelo serviço de assistência social do município, mas como é alcoólatra, não tem condições de cuidar da mulher. "Ele vive dando trabalho, deveria ser internado", afirmou. 

Leal foi detido, levado à delegacia e liberado pelo delegado Pedro Luiz Ceren. Segundo o delegado, a Polícia Civil apura o caso há mais de um ano e a internação da mãe e do filho já foi tentada diversas vezes, sem sucesso.

A aposentada está internada na Santa Casa de Gália e o filho voltou para casa. Após o final do inquérito, as autoridades devem decidir sobre a internação de ambos.

Tudo o que sabemos sobre:
GáliaViolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.