PM recria patrulhamento no trânsito de SP

Policiais vão atuar na fiscalização do trânsito e também nos pontos de maior criminalidade

Humberto Maia Junior, Estadão

25 de setembro de 2007 | 17h25

A Polícia Militar lançou nesta terça-feira, 25, o Programa de Policiamento de Trânsito em São Paulo. O programa vai colocar 1.375 PMs para fiscalizar 1.011 pontos estratégicos da capital. Esses pontos são considerados críticos do ponto de vista de índices de criminalidade e com problemas de fluidez no trânsito.   O presidente da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), Roberto Scaringella, disse que o trabalho dos PMs vai complementar os realizado pelos agentes de trânsito. Ele lembrou que somente a parceria com a PM permite aos marronzinhos parar um veículo para fiscalização e, apreendê-lo e prender o motorista.   "A CET não tem competência legal de fazer a fiscalização de cargas perigosas nem motoristas embriagados", exemplificou Scaringella. Ele lembrou que o número de PMs que vão atuar no programa é quase o mesmo do número de "marronzinhos" - cerca de 1,8 mil.   O governador José Serra (PSDB) lembrou que, além de fiscalizar o trânsito, os policiais vão atuar para combater a criminalidade nos pontos de fiscalização. "Muitos crimes são praticados pelos motoristas."   O comandante geral da PM, coronel Roberto Antônio Diniz, disse que, desde a extinção da Companhia de Policiamento de Trânsito (CPTran), em 2002, não havia na PM um grupo exclusivo para atuar na fiscalização do trânsito da cidade. Segundo ele, o atual programa terá a vantagem de não "gastar" cerca de 200 policiais para funções administrativas, como ocorria na época do CPTran. Esse trabalho será feito pelo 34º Batalhão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.