Google Street View
Google Street View

PM reage a assalto e é morto a tiros na zona norte de São Paulo

Vítima foi buscar celular comprado pela internet quando foi rendido por trio de criminosos; um suspeito foi preso e outros dois foram identificados

Paulo Roberto Netto, O Estado de S.Paulo

16 Junho 2018 | 13h32

SÃO PAULO - Um policial militar foi morto durante um assalto na Vila Medeiros, zona norte de São Paulo, na tarde dessa sexta-feira, 15. Segundo testemunhas, três suspeitos participaram do crime, mas apenas um foi detido pela polícia. O militar foi socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.

+ Bandidos explodem caixa eletrônico na zona norte do Rio

Segundo a Polícia Militar, Rodrigo Penha Pereira, 37, foi de moto até a Vila Medeiros com uma amiga para buscar um celular adquirido pela internet. Quando chegou ao local, foi abordado pelo trio de suspeitos. O PM reagiu e teve a arma roubada pelos criminosos, que efetuaram quatro disparos contra a vítima, dois deles na cabeça.

O trio fugiu do local levando apenas a chave da moto do policial. Pereira foi encaminhado ao Hospital Municipal Vereador José Storopolli, na zona nordeste da capital paulista, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. 

+ Homem com oração 'para ficar invisível' é preso após assaltar joalheria em SP

Durante buscas na região, a Polícia Militar prendeu um dos suspeitos que confessou participação no crime. O jovem, de 19 anos, tentava fugir pelo telhado das casas na rua Alonso Peres, na Vila Medeiros. Os outros dois suspeitos foram identificados pelo rapaz e por testemunhas. De acordo com a polícia, se tratam de um homem de 30 anos e um adolescente de 17. Ambos continuam foragidos.

O caso foi encaminhado à 90ª Delegacia de Polícia Civil (Parque Novo Mundo), que autuou o suspeito pelos crimes de latrocínio, lesão corporal, resistência, desobediência, corrupção de menor e roubo.

+ Restaurantes têm série de arrastões na zona oeste de São Paulo

Rodrigo Penha Pereira era militar ocupado na Corregedoria da Polícia Militar do Estado de São Paulo. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.