PM preso em operação contra arrastão é inocente, diz polícia

Um dos criminosos detidos havia passado a falsa informação de envolvimento do policial

Caio do Valle,

10 Abril 2012 | 15h22

O soldado da PM Rogério Martins Ferreira, do 45.º Batalhão (Mooca), é inocente no caso da quadrilha presa na madrugada de domingo (8) suspeita de planejar um arrastão a um prédio residencial na Chácara Klabin, zona sul, informou hoje (10) a Polícia Civil.

Inicialmente, o Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) havia divulgado que ele poderia ter ajudado os criminosos, mas investigações aprofundadas apontaram que não existe nenhuma ligação entre ele e o bando. Ele já foi liberado e voltou às suas atividades.

Um dos 12 criminosos detidos na operação, no Cambuci, região central, havia declarado que Ferreira estava envolvido, mas, segundo a polícia, a informação era falsa. Ela teria sido repassada apenas para desviar as atenções de um outro PM do mesmo batalhão, esse sim envolvido com os criminosos.

Segundo o Deic, esse outro policial militar foi preso na noite de ontem (9). Ele seria o verdadeiro elo de ligação com os bandidos.

Mais conteúdo sobre:
policial PM arrastão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.