Polícia Militar/Divulgação
Polícia Militar/Divulgação

PM prende traficante da quadrilha de Juan Carlos Abadia

Ivan Aparecido Martins foi detido com outro traficante, Luiz Carlos Tijolim, em Campinas; eles tinham arma, munições e dinheiro

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

15 Julho 2015 | 15h56

SOROCABA – A Polícia Militar prendeu nesta quarta-feira (15), em Campinas, interior de São Paulo, um homem suspeito de ligação com o grupo do colombiano Juan Carlos Ramirez Abadia, um dos maiores traficantes de drogas do mundo. O preso, Ivan Aparecido Martins, é considerado o braço direito do traficante Álvaro Daniel Roberto, ligado a Abadia. A prisão ocorreu durante uma ação de apoio à Polícia Federal. Agentes da PF pediram ajuda ao 1.o Batalhão de Operações Especiais de Polícia (1o Baep) para prender um dos envolvidos em operações que investigaram uma rede de tráfico de drogas e corrupção.

Durante a patrulha, os militares suspeitaram de dois homens num carro Jetta preto, num posto de combustível da rodovia Washington Luís. Ao ver a viatura, o veículo arrancou, mas foi seguido por um helicóptero da PM que dava cobertura à ação. O veículo bateu e os ocupantes tentaram a fuga a pé, mas foram presos. Martins apresentou documentos falsos, porém, foi identificado pela PF como integrante da quadrilha de Roberto e Abadia.

De acordo com a PM, Roberto é um dos traficantes mais procurados do Brasil. Ele foi preso em 2013, mas fugiu no ano passado, após sair para o regime de prisão domiciliar. Já Abadia, preso em 2007 pela PF na Grande São Paulo, foi extraditado no ano seguinte para os Estados Unidos, onde já cumpre pena.

O papel de Martins na quadrilha, segundo a PF, era trazer cocaína e maconha da Bolívia para São Paulo, através do Mato Grosso do Sul. A droga era levada também para outros Estados. Ele declarou à polícia que movimentava cerca de R$ 2 milhões por mês. Martins era foragido das operações “Athos”, que investigou o tráfico internacional, e “Luiz XVI”, sobre corrupção, que resultou na prisão de um juiz da Vara de Execuções, em Juiz de Fora, há dois anos. Segundo a PF, o traficante teria entregue R$ 500 mil ao magistrado.

Luiz Carlos Tijolim, que estava no carro com Martins, seu tio, também foi detido, suspeito de participação no tráfico. Na casa do traficante foram encontradas toucas ninjas, carregadores de fuzil, celulares e tonéis para esconder drogas, além de máquinas de contar dinheiro.

Em outro apartamento de Martins, num bairro nobre de Campinas, os policiais encontraram duas pistolas Glock 9 mm, uma delas com carregador em caracol para 100 balas, uma pistola 75 com munição de alto impacto, um revólver Magnum 44, além de R$ 864 mil e US$ 3,8 mil. O Jetta, uma moto BMW, uma Mercedes ML e um Fiat Strada também foram apreendidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.