PM prende quadrilha acusada de furtar peças do Cemitério do Araçá

Cinco pessoas foram detidas na madrugada desta sexta-feira enquanto carregavam uma Kombi com ornamentos do cemitério da zona oeste da capital paulista

O Estado de S. Paulo

10 de janeiro de 2014 | 10h45

SÃO PAULO - A Polícia Militar prendeu cinco pessoas na madrugada desta sexta-feira, 10, acusadas de furtar peças de cobre e bronze do Cemitério do Araçá, em Pinheiros, na zona oeste de São Paulo. A quadrilha foi surpreendida pelos policiais por volta da 1h após uma denúncia de barulho feita pelo telefone 190 por moradores da região.

Os suspeitos foram detidos pela PM enquanto carregavam uma Kombi com os ornamentos do cemitério e levados para o 91º Distrito Policial (Vila Leopoldina), na zona oeste. Ao menos nove estátuas grandes de cobre e bronze e outras nove peças, entre vasos e esculturas, foram recuperadas pela polícia. 

 

 

"Quando perceberam a presença da equipe, eles tentaram se evadir, mas dois foram surpreendidos e detidos de pronto. Em seguida, os outros dois. Próximo ao local tinha um veículo, que seria uma escolta para eles poderem ir embora. E dentro estava uma garota envolvida com grupo", disse o soldado José Caldeira, em entrevista à Rádio Estadão.

Dois dos detidos chegaram a ser encaminhados ao Pronto-Socorro da Lapa (zona oeste), com ferimentos leves. Segundo a polícia, ao menos dois dos cinco integrantes da quadrilha têm antecedentes criminais.

Vandalismo. Na madrugada da última segunda-feira, 6, o Cemitério do Araçá foi alvo da ação de vândalos, que depredaram 21 estátuas de bronze e mármore. Segundo testemunhas, 30 pessoas vestindo trajes punk, com roupas pretas, foram vistas pulando os muros do cemitério. Foi o maior ataque de vandalismo no Araçá desde a sua fundação, em 1887.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.