PM prende nove suspeitos de integrar facção criminosa

Parte dos homens foi presa em uma reunião; em outro flagrante, polícia prendeu acusado de participar de morte de soldado em junho

Ricardo Valota, O Estado de S.Paulo,

04 de setembro de 2012 | 05h08

atualizado às 8h40

SÃO PAULO - Em três flagrantes realizados pela Polícia Militar, dois deles na zona sul e outro na zona leste da cidade de São Paulo, nove suspeitos de integrar o PCC foram detidos. Quatro armas da PM, drogas e munições foram apreendidas pelos policiais.

Sete acusados de pertencerem à facção foram detidos em uma casa no Jardim Horizonte Azul, região do Jardim Ângela, na zona sul da capital paulista, após policiais militares da Força Tática do 37º Batalhão receberem uma denúncia anônima sobre a existência de um desmanche no local.

Os PMs acreditam que parte do grupo conseguiu fugir e afirmaram que vários tiros foram disparados contra os policiais, que não revidaram. Um dos detidos, ferido por um tiro acidental  disparado por um colega, dizem os policiais, foi levado para o hospital.

Dentro da casa foram encontrados um revólver calibre 38, maconha, o estatuto da facção e um caderno com anotações financeiras do grupo criminoso.

Cinco dos sete detidos, segundo a PM, já têm passagem pela polícia. O grupo foi encaminhado para a sede do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC), na zona norte da capital paulista.

Até as 3h15 desta madrugada de terça-feira, 4, os detidos eram ouvidos pela Polícia Civil e não havia sido informado se todos permaneceriam presos nem o crime pelo qual cada um irá responder.

Armas da polícia. Evaldo Neris Santana, de 31 anos, foi preso nesta segunda-feira, 3, depois de tentar escapar de uma blitz e se envolver em um acidente na Avenida Calim Eid, no Jardim Popular, região da Penha, na zona leste da capital. Santana estava em uma moto e, no acidente, sofreu fratura em uma das pernas. Os policiais encaminharam o homem para o Hospital Municipal Doutor Cármino Caricchio, no Tatuapé.

Com Evaldo, os policiais encontraram cinco pistolas calibre ponto 40, quatro delas com o brasão da PM. As armas, possivelmente roubadas, estavam dentro da mochila carregada pelo suspeito.

A polícia agora irá apurar a participação de Evaldo em casos de assassinato de policiais militares ou roubos praticados contra PMs. Santana foi autuado em flagrante no 24º Distrito Policial, da Ponte Rasa.

Inteligência. Um suspeito de participar da morte de um policial militar no dia 22 de junho deste ano foi preso, no início da noite desta segunda-feira, 3, na região de Parelheiros, no extremo sul da capital paulista, por policiais militares das Rondas Ostensivas Tobias Aguiar (Rota).

Agentes do Serviço de Inteligência da Polícia Militar indicaram aos membros da Rota a localização de um homem que pertenceria à facção criminosa. Os policias encontraram  Ronaldo Amaral Gaspar, de 32 anos, na Estrada do Jaceguava, na região de Parelheiros. Ele dirigia um carro acompanhado de uma mulher, que foi liberada.

Durante uma vistoria no veículo,  que está no nome da esposa de Gaspar, os policiais encontraram quatro tijolos de maconha e munições de pistolas e espingarda. De acordo com a polícia, Ronaldo confessou ser o dono da droga, das munições e a participação no homicídio do policial Osmar dos Santos Ferreira.

Segundo os PMs, Ronaldo negou ser o autor dos disparos que atingiram o soldado, morto com vários tiros em 22 de junho quando ia trabalhar. Na versão do acusado, de acordo com a polícia, ele dirigia o carro usado na abordagem de Ferreira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.