PM prende dupla acusada de matar soldado da Corregedoria

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, homens agiram a mando do PCC e serão transferidos para um presídio federal

Marcelo Godoy, O Estado de S.Paulo

14 de novembro de 2012 | 12h04

SÃO PAULO - A Polícia Militar prendeu dois suspeitos de terem assassinado, nesta terça-feira, 13, o soldado Edgard Lavado, de 43 anos, que atuava na Corregedoria da Polícia Militar.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública de SP, o homem que disparou o tiro que matou o agente confessou o crime. Ele teria agido a mando do Primeiro Comando da Capital (PCC). O acusado contou que recebeu o endereço do policial e a ordem para matá-lo, mas não saberia que o soldado era da corregedoria. Lavado foi morto à paisana, ao chegar em casa, em Guarulhos.

Além do atirador, um outro homem que deu cobertura ao crime também foi preso. Um terceiro suspeito está foragido.

A secretaria vai solicitar a transferência dos assassinos confessos do PM para um presídio federal.

Neste ano, 92 policiais militares, a maioria em horário de folga, foram vítimas de homicídio no Estado de São Paulo.

Mais conteúdo sobre:
violênciaPCC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.