PM prende dupla acusada de matar motorista de prefeitura mineira na zona leste de SP

Em patrulhamento, policiais pararam um Fiat Pálio onde estavam os criminosos que não portavam documentos e possuíam uma faca; confissão do crime foi feita através de interrogatório

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

20 de maio de 2011 | 05h19

SÃO PAULO - Dois homens que confessaram o assassinato do motorista Carlos Felisbino de Souza, que trabalhava para a Prefeitura de Araújos (MG), no centro-sul mineiro, a 160 quilômetros de Belo Horizonte, foram presos, por volta das 19h15 desta quinta-feira, 19, por policiais militares da Força Tática do 8º Batalhão, na região do Tatuapé, na zona leste de São Paulo. A dupla foi encaminhada para o 30º Distrito Policial.

 

Em patrulhamento pela rua Bom Sucesso, na Vila Gomes Cardim, os policiais desconfiaram de dois ocupantes de um Fiat Pálio prata e abordaram a dupla, com a qual havia uma faca. Como o carro não é do estado de São Paulo, os policiais não conseguiram levantar queixa alguma em relação ao veículo, mas, como os dois suspeitos estavam sem documentos e com eles havia uma faca, os policiais começaram a interrogá-los, obtendo a confissão.

 

Segundo a Polícia Militar mineira, um dos assassinos é Alessandro Rodrigues de Souza, de 25 anos, natural da cidade de Malacacheta, no nordeste mineiro. Os dois criminosos moravam em Araújos e foram reconhecidos por testemunhas que viram a dupla entrado no Palio, veículo da vítima, minutos antes do assassinato, ocorrido por volta das 18 horas da última quarta-feira, 18.

 

Os dois criminosos teriam solicitado a Carlos uma corrida particular. A vítima foi golpeada com três facadas quando trafegava por uma estrada vicinal que liga Araújos à BR-282. O corpo de Feslisbino, encontrado somente no final da noite, foi abandonado pelos assassinos na mesma estrada. Um dos bandidos assumiu o volante e ambos fugiram para a capital paulista.

 

O motorista era casado e pai de uma menina de 1 ano e meio. Segundo a Polícia Militar, o motorista era conhecido na cidade, que ficou chocada com o crime.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.