PM muda chefe de Comando de Policiamento Metropolitano

'Estado' adiantou na sexta-feira a alteração de cargos estratégicos da corporação; SSP afirma que mudanças ocorrem por razões 'administrativas e funcionais'

O Estado de S. Paulo

12 Julho 2014 | 13h50

SÃO PAULO - Após a troca dos principais cargos de comando da Polícia Militar de São Paulo neste sábado, 12, o coronel Leonardo Torres Ribeiro passará do Comando de Policiamento da Capital (CPC) para o Comando de Policiamento Metropolitano (CMP) e será responsável pela atuação da PM nos 38 municípios da Grande São Paulo, com exceção da capital. Quem assume o CPC é o coronel Glauco Silva de Carvalho. Como o Estado adiantou, foi publicada no Diário Oficial do Estado de São Paulo deste sábado a troca de comandantes da PM. Ao todo, 9 coronéis mudaram de funções. 

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) e o secretário estadual de Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, se reuniram para definir as mudanças na sexta-feira, 11 - a reunião foi marcada a pedido do secretário. A pasta disse apenas que "as mudanças ocorrem por razões administrativas e funcionais". 

A partir deste sábado o coronel José Mauricio Weisshaupt Perez passará da Academia de Polícia Militar do Barro Branco (APMBB) para a Escola Superior de Soldados (EESSd). Quem ficará à frente da APMBB é o coronel Reynaldo Simões Rossi, ex-comandante do Comando de Policiamento da Área Metropolitana 1 (CPAM1).

Já Carlos Celso Castelo Branco Savioli passará do Comando de Policiamento do Choque (CPChq) para a Assessoria Policial Militar do Tribunal de Justiça de São Paulo (APMJT), assumindo o cargo de Carlos Magno da Silva, que vai para a Diretoria de Polícia Comunitária e de Direitos Humanos (DPCDH).

A chefia do Choque passará a Nivaldo César Restivo. Outros dois que trocam de cargo são os coronéis Gilberto Tardochi da Silva, que vai para o Comando de Policiamento de Trânsito (CPTran), e Ieros Aradzenka, que passará do CPM para o Gabinete do Comandante Geral. 

Índices. Em maio deste ano, conforme os últimos dados da criminalidade divulgados pela SSP, os roubos tiveram a 12.ª alta consecutiva, tanto no Estado como na capital. Foram registradas 28.336 ocorrências, sem contar roubo de veículos - o aumento foi de 33,6% em comparação com o mesmo mês do ano passado. A capital teve alta de 41,9%, com 14.716 casos - o maior pico desde janeiro de 2012. O índice de homicídios cresceu no Estado - alta de 6,4%. Em maio deste ano, foram 350 casos ante 329 de 2013. Na capital, o índice caiu 22%, passando de 108 ocorrências para 84.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.