PM morre após levar tiro na cabeça em Pirituba

Soldado foi ferido por disparo após luta com um suspeito na Avenida Raimundo Pereira de Magalhães

Marcelo Godoy, O Estado de S. Paulo

27 Abril 2013 | 16h02

O policial militar Antonio Roberto Evangelista, de 43 anos, morreu na tarde desta sexta-feira, 26, após levar um tiro na cabeça durante luta corporal com um suspeito aparentemente drogado. A ocorrência, por volta das 17h, foi na altura do número 1.600 da Avenida Raimundo Pereira de Magalhães, em Pirituba, na zona norte da capital.

De acordo com a Polícia Militar, o soldado averiguava a denúncia de uma pessoa vendendo drogas nessa via quando abordou um homem, J.F.S., que resistiu e começou a lutar com Evangelista. Em nota, a corporação informou que, na briga, a arma do agente caiu, sendo pega pelo suspeito, que, em seguida, efetuou um disparo. Logo depois, o criminoso largou a pistola e fugiu a pé, "sendo preso durante a fuga pela viatura de força tática".

Levado para o pronto-socorro do Hospital Municipal de Pirituba, o policial não resistiu ao ferimento. Ele trabalhava havia 16 anos na Polícia Militar. Não deixa filhos. Seu sepultamento foi realizado na manhã deste sábado, 27, no Mausoléu de Heróis da PM, no Cemitério do Araçá, na zona oeste.

Em mensagem enviada neste sábado, o comandante-geral da PM, coronel Benedito Roberto Meira, afirmou: "Acabei de enterrar mais um herói da PM que morreu no cumprimento do dever". Ainda segundo ele, "trata-se de um profissional que assumiu o compromisso de dar sua própria vida em defesa da sociedade".

Para finalizar, Meira disse que sabe que "integrantes da nossa corporação erram, e não compactuamos com os erros, mas a imensa maioria se propõe à realização do bem".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.