PM mata colega depois de confundi-lo com bandido

Policial não reconheceu Yung Caio Rodrigues, de 35 anos, porque ele fez brincadeira e estava de moto e capacete

FÁTIMA LESSA, ESPECIAL PARA O ESTADO, CUIABÁ, O Estado de S.Paulo

19 Janeiro 2013 | 02h01

O policial militar Yung Caio Rodrigues, de 35 anos, morreu na madrugada de ontem após ser baleado por um colega de corporação em Rondonópolis (MT), a 218 km de Cuiabá.  

O assessor de Comunicação do Comando-Geral da Polícia Militar de Mato Grosso, tenente-coronel Evandro Medeiros, contou que, na quinta-feira à noite, o amigo de Rodrigues, que não teve o nome revelado, saía de casa quando o amigo resolveu brincar com ele. Chegou em uma moto e, sem tirar o capacete, gritou: "Perdeu, perdeu, playboy!". Achando que era um assalto, o policial atirou duas vezes no amigo. O primeiro tiro atingiu seu abdome e o segundo, a virilha.

Ferido, Rodrigues tirou o capacete e disse para o amigo: "Sou eu, o Caio". Imediatamente, o colega chamou socorro e acionou viaturas. Ele foi recolhido à caserna. O PM baleado foi levado para o Hospital Regional de Rondonópolis, onde foi submetido a uma cirurgia, mas morreu durante a madrugada.

Medeiros disse que o policial que atirou no colega está muito abalado. "Ele será acompanhado psicologicamente por nosso corpo de médicos de Rondonópolis", afirmou.

Segundo o assessor de Comunicação, Rodrigues e o amigo entraram na PM em 2004. A vítima já tinha atuado na Força Nacional e atualmente estava na administração do Comando Regional da PM. O major da Polícia Militar em Rondonópolis Sandro Barbosa disse que os dois policiais eram próximos. "Eles eram amigos e o que aconteceu foi uma fatalidade."

Ainda segundo a Assessoria de Imprensa da PM, será instaurado inquérito para apurar o caso.

O corpo de Rodrigues foi enterrado ontem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.