PM fecha cerco aos 'bondes' de presídios

A Polícia Militar vai reforçar o patrulhamento e batidas nos chamados "bondes" para os presídios do Estado, financiados por integrantes do Primeiro Comando da Capital. Os ônibus para a Penitenciária 2 de Presidente Venceslau, onde se encontram as principais lideranças da facção, receberão atenção especial.

O Estado de S.Paulo

01 Julho 2012 | 03h03

"Essa é uma das estratégias da PM, que já vem sendo colocada em prática desde a semana passada para coibir a ação dos integrantes da facção", diz o deputado estadual Major Olímpio Gomes (PDT), ex-integrante da PM, cuja origem é justamente a região de Presidente Venceslau.

Segundo ele, a estratégia de assassinar PMs já vem ocorrendo desde agosto de 2009, pelo menos na Baixada Santista. Foram 16 casos de execução de policiais, quando eles estão de folga ou fazendo bico. As famílias acabam tendo de entrar com ações contra o Estado para ser indenizadas. "São abandonadas pelo Estado." / B.P.M e M.G.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.