PM faz operação de repressão ao crime em bairro de Sorocaba

Acessos da antiga favela Vila Nova Esperança estão com barreiras; ação policial deve terminar neste domingo

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

20 de junho de 2008 | 16h47

A Polícia Militar ocupa desde a manhã desta sexta-feira, 20, a Vila Nova Esperança, bairro pobre e recordista em violência na zona norte de Sorocaba. A PM mobilizou um aparato com cerca de 80 homens armados, entre eles integrantes da Cavalaria e do Canil. Os acessos do bairro, uma antiga favela urbanizada que abriga cerca de 6 mil moradores, foram bloqueados com barreiras policiais por volta das 6 horas. Pessoas e veículos passaram a ser revistados. A ação teve o apoio de um helicóptero.   Os policiais fizeram uma varredura no bairro, atacando pontos usados para o tráfico de drogas. Foram feitas várias prisões, mas o balanço só será divulgado no final da operação. A ocupação será suspensa no domingo, 22. De acordo com o comandante do 7º Batalhão da PM, tenente coronel Paulo Sérgio Valle, o objetivo da ação é mais social do que repressivo. "Queremos ajudar a comunidade a resolver seus problemas." Segundo ele, os policiais deram palestras nas duas escolas do bairro.   As crianças foram convidadas a conhecer a base da PM montada no local e puderam passear nos cavalos dos milicianos. Policiais femininas foram designadas para atender os moradores. Valle disse que o objetivo da polícia é estar mais próxima da comunidade. "É um trabalho de prevenção do crime."

Tudo o que sabemos sobre:
políciaoperaçãoSorocaba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.