PM expande reforço policial na capital e em Guarulhos

Efetivo extra de 400 homens vai patrulhar áreas da zonas norte, leste e o município vizinho

Felipe Tau, O Estado de S. Paulo

07 de novembro de 2012 | 08h57

SÃO PAULO- A Polícia Militar expandiu nesta quarta-feira,7, a Operação Saturação para Parada de Taipas, na zona norte da capital, Santa Inês, na zona leste e Guarulhos, na Região Metropolitana. As três regiões ganharam juntas um efetivo extra de 400 policiais, segundo a corporação, que começou a trabalhar às 6h. O objetivo da ação é conter a onda de homicídios e execuções de polícias na cidade e, segundo a PM, ela não tem prazo para acabar.

O reforço chega mais de uma semana depois da Saturação ter início na favela de Paraisópolis, na zona sul, no dia 29 de outubro. Nesse período, 36 pessoas foram presas e 11 procurados capturados na comunidade, que conta reforço de 500 policiais. Também foi detido um membro da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) e encontrada uma lista com nomes de 40 policiais que suspeita-se seriam assassinados.

De acordo com a PM, a operação na zona norte terá 60 homens, 15 viaturas, 32 motocicletas e um helicóptero. A região foi palco de assassinatos entre a noite de segunda-feira e a madrugada de terça, com oito mortes em cerca de 5 horas, além de cinco ônibus atacados e toque de recolher na Vila Brasilândia, bairro vizinho à Parada de Taipas. Os crimes aconteceram perto de onde foi assassinada a soldado Marta Umbelina da Silva, na noite de sábado.

Na zona leste, o efetivo será reforçado com mais 130 PMs, além de 20 viaturas, 20 motocicletas e um helicóptero. Em Guarulhos, na comunidade São Rafael, a operação terá reforço de 110 PMs, distribuídos em 27 viaturas, 12 motocicletas, uma aeronave e três cavalos.

Estatísticas. Apenas em outubro, 145 homicídios foram registrados na cidade de São Paulo, o maior número desde janeiro do ano passado, quando a Secretaria de Segurança Pública do Estado começou a divulgar as estatísticas mensalmente. Um total de 92 policiais militares foram mortos no Estado neste ano.

Tudo o que sabemos sobre:
saturaçãopolícia militaroperação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.