PM estoura bingos na Capital e em Campinas após duas denúncias anônimas

Em São Paulo, ligação partiu de um suposto cliente que teria perdido todo o dinheiro

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

13 de janeiro de 2012 | 05h17

SÃO PAULO - Após receberem a denúncia de um apostador que perdeu todo o dinheiro e teria ficado retido em condições de cárcere privado no interior de um bingo, policiais militares, na noite desta quinta-feira, 12, foram até o local, um prédio comercial, na altura do nº 983 da Rua Lins de Vasconcellos, na Vila Mariana, zona sul de São Paulo.

 

A jogatina funcionava no subsolo, cujo acesso era feito por uma porta com uma tranca. Os policiais conseguiram entrar ao abordarem uma mulher, uma suposta cliente, no momento em que ela deixava o bingo. Lá foram apreendidas 34 máquinas de videobingo. Havia quatro apostadores. O caso foi encaminhado ao 8º Distrito Policial (Brás/Belém).

 

Campinas. Treze pessoas, sendo 12 clientes e 1 funcionário, foram detidas e 20 máquinas de videobingo foram apreendidas, por volta das 2 horas desta madrugada de sexta-feira, 13, no interior de um bingo instalado na residência nº 55 da Rua Júlio Soares de Arruda, no bairro São Quirino, em Campinas, interior paulista.

 

PMs da 2ª Companhia do 8º Batalhão do Interior foram até o local após uma pessoa ligar para o 190 informando que o imóvel era utilizado como cativeiro e que havia uma refém no interior da casa. Ao chegarem no endereço informado, os policiais descobriram a jogatina.

 

As 13 pessoas foram encaminhadas para o 4º Distrito Policial, no Jardim Campinas, onde terão a ficha criminal pesquisada pela polícia. Quem tiver alguma dívida com a justiça ficará preso, os demais serão liberados, mas podem ser chamados para depor perante o juiz dependendo do desenrolar do inquérito policial que foi aberto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.