Reprodução Google Street View
Reprodução Google Street View

PM é morto com tiro acidental de fuzil disparado por colega em Sorocaba

Projétil perfurou o colete à prova de balas e atingiu o tórax do policial

José Maria Tomazela , O Estado de S.Paulo

19 de outubro de 2018 | 11h41

SOROCABA - O sargento da Polícia Militar Luiz Antônio Faria, de 46 anos, morreu ao ser baleado com um tiro de fuzil por um colega da corporação, na noite desta quinta-feira, 18, em Sorocaba, interior de São Paulo. De acordo com o comando da PM, o disparo foi acidental, durante o atendimento a uma ocorrência. O projétil perfurou o colete à prova de balas e atingiu o tórax do policial. Ele foi levado ao Hospital Regional de Sorocaba, mas não resistiu.

O policial era lotado na Companhia de Força Tática do 7.o Batalhão da Polícia Militar, em Sorocaba. A equipe foi mobilizada após uma denúncia anônima sobre a presença de supostos criminosos armados numa chácara do bairro Inhayba, na zona leste da cidade. Segundo a PM, foi organizado um cerco à área, mas a denúncia não se confirmou. Durante a varredura na chácara, em um dos cômodos, o sargento foi alvejado por um disparo de outro policial.

Ainda segundo a PM, foi aberto procedimento pela Polícia Judiciária Militar para apurar "todos os fatos desse triste episódio". O comandante do 7.o Batalhão, tenente-coronel Carlos Alexandre Mello, divulgou nota de solidariedade aos familiares e amigos do policial. "O comandante lamenta, com muito pesar, a fatalidade que acabou por ceifar a vida de um profissional extremamente competente que sempre atuou na defesa da sociedade sorocabana", diz a nota. O sargento era casado e tinha uma filha. O sepultamento será às 10h deste sábado, 20, no cemitério Memorial Park, em Sorocaba.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.