PM e mais 7 pessoas são mortas na Grande SP

Pelo menos oito pessoas foram assassinadas entre a noite de domingo e a tarde de ontem na Grande São Paulo. Na capital, dois policiais militares foram baleados quando deixavam um banco - um deles morreu.

O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2012 | 02h02

Os PMs estavam de folga e saíam com dinheiro de uma agência do Itaú na Rua São Caetano, região central, quando foram abordados por bandidos em uma moto. Houve troca de tiros.

Segundo a Polícia Civil, o soldado Jobel Pereira de Andrade, de 42 anos, foi atingido na cabeça e chegou morto à Santa Casa. O outro PM foi baleado quatro vezes - no abdome, tórax e braço -, mas tinha quadro estável.

Madrugada. Segundo o Instituto Médico-Legal (IML), seis pessoas morreram na noite de domingo e na madrugada de ontem em Guarulhos. Por volta das 21h, no bairro Vale dos Machados, Romário Santana dos Santos, de 21 anos, e o pintor Jaime Ferreira Costa, de idade não informada, foram mortos a tiros. Uma doméstica de 46 anos foi baleada e está internada.

Às 21h30, o estudante Antonio Marcos Ferreira, de 20, foi morto a tiros no bairro Cidade Seródio. Outro estudante, Ezequiel da Cruz, de 18, morreu. Mais três foram baleados às 23h45 no Jardim São João Batista. Testemunhas disseram que o atirador estava em um carro preto.

Além dos quatro que foram mortos inicialmente, segundo o IML mais duas pessoas morreram no hospital. Na noite de domingo, dois ônibus foram incendiados - um em Guarulhos e outro no Tremembé, zona norte.

Mala. Uma mulher foi achada morta dentro de uma mala em Itaim Paulista, zona leste, por volta das 8h. A mulher era negra e usava apenas uma camiseta. Ela não tinha nenhuma parte do corpo cortada e havia indícios de violência sexual. / ARTUR RODRIGUES e JULIANA DEODORO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.