PM é baleado ao tentar evitar assalto a farmácia

À paisana e de folga, soldado desconfiou de dois homens que estavam no interior do estabelecimento

Bruno Lupion e Ricardo Valota, do estadão.com.br

01 Dezembro 2010 | 03h21

SÃO PAULO - Um soldado, de prenome Ricardo, que atua pelas Rondas Ostensivas com Auxílio de Motocicleta (Rocam), lotado na 2ª Companhia do 37º Batalhão, foi baleado, por volta das 21h15 de terça-feira, 30, ao tentar evitar um assalto à drogaria Pharmatelli, na altura do nº 2.633 da avenida Carlos Lacerda, no Campo Limpo, zona sul de São Paulo.

De folga e à paisana, o policial entrava na farmácia para comprar medicamento para a esposa quando desconfiou de dois homens que já estavam no interior do estabelecimento. "Conheço o policial, ele é meu cliente. Foi tudo muito rápido. Eu estava atendendo uma pessoa, ouviu os tiros e vi o policial baleado. Acho que ele percebeu que se tratavam de dois bandidos e quis se antecipar", relatou o comerciante Marcelino Batistelli.

Ainda segundo o comerciante, na quarta-feira passada, dia 24, a farmácia já havia sido alvo de assaltantes, que na ocasião levaram R$ 120,00. Desta vez, os criminosos, em razão da ação do policial, levaram apenas dois pacotes de lenços umedecidos, fugindo em seguia em um Gol cinza. Baleado na região entre o tórax e o ombro, Ricardo foi encaminhado ao Hospital Municipal do Campo Limpo e não corre risco de morte.

O caso foi registrado no 37º Distrito Policial, do Campo Limpo. A Polícia Militar não quis fornecer o nome do soldado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.