PM é afastado após sumiço de adolescente

O desaparecimento de um adolescente em Mogi da Cruzes, na Grande São Paulo, fez o comandante da Polícia Militar na cidade, Paulo Roberto Madureira Sales, e o capitão da Força Tática Eduardo Rangel serem afastados. O rapaz desapareceu há 15 dias, após ser abordado por policiais militares no município.

Plínio Delphino e Liege Albuquerque, O Estado de S.Paulo

30 Março 2011 | 00h00

Procurado pela reportagem, o comando da PM ressaltou que a medida não indica nenhum envolvimento de Sales e Rangel com o caso - trata-se de uma política da corporação e também da Secretaria de Segurança Pública do Estado, que afasta o comando de batalhões que passam por investigação. Interinamente, o major José Francisco Braga assume o batalhão de Mogi das Cruzes.

Os quatro policiais que abordaram o adolescente estão detidos no Presídio Militar Romão Gomes, na zona norte de São Paulo. O caso é investigado pela Corregedoria da PM.

Amazonas. O comandante da Polícia Militar do Amazonas, Dan Câmara, também foi afastado do cargo na segunda-feira, menos de uma semana depois da divulgação de um vídeo em que sete PMs atiram em um adolescente. O jovem sobreviveu. O coronel Almir David, secretário executivo do Gabinete de Gestão Integrada da Secretaria de Segurança, assume o comando. Após Câmara dizer que não sabia do vídeo, o procurador João Bosco Sá Valente o chamou de "mentiroso" e afirmou que havia dado cópia a ele.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.