Marciano Candia/AP
Marciano Candia/AP

PM de São Paulo reforça policiamento nas divisas e em rodovias após fuga no Paraguai

Corporação disse que foram deflagradas operações em todo o Estado "com grande contingente operacional". Fuga contou com túnel e suspeita de facilitação de agentes da unidade prisional

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de janeiro de 2020 | 00h51

SÃO PAULO - A Polícia Militar do Estado de São Paulo informou ter reforçado o policiamento com atenção especial para as divisas e para as rodovias após a fuga de 75 presos de uma cadeia em Pedro Juan Caballero, no Paraguai. A corporação disse que foram deflagradas operações em todo o Estado "com grande contingente operacional". 

A ação conta com reforço do policiamento da força tática, do policiamento de choque, dos batalhões de ações especiais (Baep), além dos helicópteros e drones para monitoramento. "Por meio de uma ação integrada, a Polícia Militar está dedicando atenção total. Hoje (segunda), por exemplo, mais de 13 mil policiais e de 6 mil viaturas estão dedicados à operação e o efetivo será ainda mais reforçado nas próximas horas", informou a PM. 

Setenta e cinco presos ligados ao Primeiro Comando da Capital (PCC) fugiram neste domingo, 19, da Penitenciária Regional de Pedro Juan Caballero, no Paraguai, próximo à fronteira com o Brasil. Um túnel foi encontrado no local, embora o governo acredite que parte dos criminosos tenha escapado pela porta da frente com a cumplicidade de funcionários do presídio. 

O Ministério da Justiça do Brasil afirmou neste domingo que o grupo de fugitivos era composto por 40 brasileiros e 35 paraguaios. Em entrevista coletiva, a ministra da Justiça do país, Cecilia Pérez, ressaltou que o ministério denunciou em dezembro a existência de um plano de "fuga ou resgate" do PCC, pelo qual agentes penitenciários receberiam US$ 80 mil pela liberdade de líderes da facção. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.