PM de folga é morta na frente da filha

Soldado foi atingida por 10 tiros quando saiu do carro para abrir portão de sua casa na Brasilândia; dois homens efetuaram disparos

DIEGO ZANCHETTA , WILLIAM CARDOSO, O Estado de S.Paulo

05 de novembro de 2012 | 02h04

A soldado da Polícia Militar Marta Umbelina da Silva, de 44 anos, foi assassinada na noite de anteontem, na Vila Brasilândia, zona norte de São Paulo. O crime aconteceu na frente de sua filha, de 11 anos. O corpo de Marta foi enterrado ontem no Cemitério Parque Jaraguá, também na zona norte. De acordo com o comandante-geral da PM, Roberval Ferreira França, trata-se da primeira mulher da corporação morta fora de serviço.

Segundo testemunhas, a policial desceu do carro onde estava para abrir o portão de casa quando foi baleada por dois homens que estavam, aparentemente, em um Honda Civic prata. O caso foi registrado no 72.º Distrito Policial (Vila Penteado), mas será investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Depois do velório de Marta, o comandante-geral da corporação demonstrou indignação com o assassinato. "É um crime covarde, com dez tiros pelas costas. Estamos todos chocados e em luto", disse. França afirmou também que Marta estava na PM desde 1996 e que havia 11 anos prestava serviços internos.

Sobre os 90 policiais militares mortos neste ano, o coronel disse ter confiança de que este momento será superado. "A melhor forma de nossos homens honrarem os PMs mortos é continuar combatendo a criminalidade de acordo com as leis", afirmou. O comandante-geral também pediu leis mais rígidas. "No momento em que as autoridades discutem leis liberalizantes, o sentimento da sociedade é justamente o contrário. Devemos aproveitar o momento para discutir a redução da maioridade penal e tentar impor mais rigor na saída temporária", disse França.

O coronel disse que mais comunidades serão alvo de Operações Saturação nesta semana e afirmou que tem feito avaliações técnicas sobre a necessidade de transferência de presos.

O deputado estadual Major Olímpio Gomes (PDT) também esteve no velório. "O Estado não pode mais ignorar essa guerra", afirmou. Integrantes da Associação de Cabos e Soldados da PM fizeram a doação de R$ 1,4 mil para a família da policial, que tinha três filhas menores de idade.

Zona sul. Ontem, o corpo de um homem não identificado foi encontrado na Estrada das Lágrimas, perto da favela de Heliópolis, zona sul. Ele teria sido morto a tiros por homens em uma motocicleta. O caso foi registrado no 26.º DP (Sacomã) e também será investigado pelo DHPP.

Na quarta-feira, o cabo Haiton Borges dos Santos Evangelista, de 33 anos, e o soldado Antonio Paulo da Rocha, de 35, foram mortos a tiros na comunidade. Eles estavam à paisana.

Operações. A Operação Saturação, em Paraisópolis, zona sul, teve 33 pessoas presas e seis adolescentes apreendidos entre a segunda-feira passada e a manhã de ontem. Foram capturados oito foragidos. A PM achou 333,5 kg de maconha, 30,3 kg de cocaína, 50 frascos de lança-perfume, 16 armas e 344 munições.

Baixada. A Baixada Santista registrou pelo menos dois casos de violência entre a noite de anteontem e a madrugada de ontem. Segundo o jornal A Tribuna, de Santos, uma carta encontrada com um suspeito em São Vicente, atribuída ao Primeiro Comando da Capital (PCC), trazia a frase "só quero meter bala na PM".

Em Cubatão, Ricardo Bento de Almeida, de 23 anos, e Carlos Henrique de Menezes Bruno, de 21, foram mortos a tiros, às 22h18 de anteontem, na Ilha Caraguatá. Segundo testemunhas, os atiradores estavam em um Celta prata. Em São Vicente, três homens atearam fogo a um ônibus. Ninguém ficou ferido.

Imagens veiculadas ontem pelo Fantástico, da TV Globo, mostraram o momento em que o PM Ismael Alves dos Santos, de 38 anos, foi executado por dois homens em Guarulhos, no mês de setembro. O soldado foi morto dentro do mercado da família. Um dos homens identificados no vídeo foi preso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.