PM de folga é baleada pelas costas no Jardim Ângela

Soldado de 35 anos levou dois tiros após lutar contra dupla de suspeitos

Rafael Italiani, O Estado de S. Paulo

23 Agosto 2014 | 18h00

Atualizada às 18h35

SÃO PAULO - Uma soldado da Polícia Militar de 35 anos levou dois tiros pelas costas, às 16h55 de hoje, no Jardim Ângela, na zona sul de São Paulo. De acordo com a corporação, a PM estava de folga quando foi abordada por dois suspeitos, na Rua Damasco. A policial entrou em luta corporal com a dupla. Um dos criminosos sacou uma arma e atirou na região lombar da policial.  

A PM foi levada para o Hospital Municipal do Campo Limpo, também na zona sul. No entanto, ainda segundo a Polícia Militar, ao chegar no local não havia médico para atendê-la. O helicóptero Águia da Polícia Militar levou a policial até o Hospital das Clínicas. O caso será registrado no 47º DP (Capão Redondo), que ainda não tem informações sobre a motivação do crime.

A Secretaria Municipal de Saúde desmentiu a versão da PM. Segundo a pasta, "não procede a informação sobre a falta de médico". A secretaria afirmou a policial teve o atendimento médico iniciado na "sala de choque, porém a equipe do hospital foi comunicada que um helicóptero Águia estava a caminho e que, para a transferência, era necessário estabilizar o quadro (de saúde)". No momento do atendimento, segundo a Prefeitura, havia dois cirurgiões e dois clínicos. A pasta afirmou que o "helicóptero removeu a paciente do hospital poucos momentos depois de a equipe ter iniciado aferição dos sinais vitais".

Entre os dias 1º e 10 de agosto, o Jardim Ângela recebeu um aumento no efeito de policiais militares para reduzir crimes contra a vida e roubos. O programa de saturação da PM é chamado de Política Pública de Prevenção Criminal e Manutenção da Paz e da Ordem Pública (PrevPaz). Os bairros vizinhos Capão Redondo e Campo Limpo também tiveram um aumento no efeito. Juntos, os três distritos tem índices criminais oito vezes maiores do que no restante da cidade. 

Enquanto o reforço com 400 PMs esteve na região com homens do Choque, do policiamento comunitário e do Comando de Policiamento de Trânsito (CPTran), o número de homicídios caiu em 60%. Também houve redução nos casos de roubo de carros (37,5%) e furtos de automóveis (36,6%).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.