PM atacado no Guarujá sofria ameaças de bandidos

Na última sexta-feira, três policiais foram alvejados por cerca de cem disparos de armas de fogo

Rejane Lima, O Estado de S. Paulo

05 de abril de 2011 | 19h59

SANTOS - A Polícia Militar confirmou nesta terça-feira, 5, que o atentado a tiros contra três policiais ocorrido na última sexta-feira no Guarujá, na Baixada Santista, aconteceu após um deles ser ameaçado por bandidos.

"A ameaça foi confirmada, a motivação a gente não sabe ainda. Estamos analisando todas as ocorrências que ele participou", explicou o Comandante da PM da Baixada Santista e Vale do Ribeira, coronel Sergio Del Bel, afirmando que "ainda está sendo averiguada a fonte da ameaça", mas que "provavelmente" o ataque foi praticado por traficantes.

Os três policiais militares foram alvejados por cerca de cem disparos de armas de fogo por volta das 6h da manhã de sexta-feira no bairro Pae Cara, distrito de Vicente de Carvalho. O crime aconteceu em frente à casa do soldado, que tendo declarado ao Comando que sofria ameaças, estava sendo escoltado até sua residência. Entretanto, ele foi o único a não ser atingido pelos tiros e conseguiu socorrer os outros dois policiais: o tenente que teve a perna baleada e o soldado cujo tiro atingiu o braço.

Os policiais foram atendidos no Hospital Santo Amaro e receberam alta no mesmo dia. O caso foi registrado no 2º Distrito Policial de Guarujá, e segundo a Polícia Civil as investigações já avançaram.

Tudo o que sabemos sobre:
PMataquebandidosameaçaGuarujáSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.