JB Neto/AE
JB Neto/AE

PM apreende 1 tonelada de fogos de artifício em Suzano

Fogos estavam em um haras que seria do dono da loja que explodiu em Santo André no dia 24 de setembro

Daniela do Canto, Central de Notícias,

09 de outubro de 2009 | 07h21

A Polícia Militar apreendeu 1 tonelada de fogos de artifício em um haras em Suzano, na Grande São Paulo. O caseiro do local, Rinaldo Aparecido Soares, de 31 anos, afirmou aos policiais que a carga explosiva tinha como destino a loja de fogos que explodiu em Santo André no dia 24 e deixou dois mortos. Os fogos foram apreendidos no fim da noite da quinta-feira, 8. Ele disse que os fogos não foram levados ao local justamente por causa da explosão. O haras seria do dono da loja que explodiu em Santo André, Sandro Luiz Castellani. A loja explodiu no dia 24 de setembro e causou a morte de 2 pessoas.

Policiais militares do 32º Batalhão chegaram ao haras depois de receberem uma denúncia anônima de que a carga seria retirada por um caminhão na quinta-feira, 8. O informante tinha, inclusive, a descrição física de Soares, que foi passada à polícia. Ao chegarem ao local, os policiais encontraram o caseiro, que foi detido. Com ele, foi apreendida uma arma.

Os fogos de artifício estavam armazenados em um contêiner dentro do haras há pouco mais de um mês. O material, que não possuía nota fiscal, passou por uma perícia e ainda não tem um destino definido. A PM deve acionar a prefeitura, o Exército e o Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) para que a remoção da carga seja planejada.

De acordo com a tenente Brenda Castro, uma análise preliminar aponta que não há risco de explosão no local. Ela contou ainda que Soares falou pouco sobre o material. "Ele disse apenas que os explosivos iriam para Santo André, para o depósito que explodiu, e que acabaram não indo por causa da explosão."

O caseiro do haras foi autuado em flagrante na Delegacia Central de Suzano e será indiciado por porte ilegal de arma de fogo e posse ilegal de artefato explosivo. Conforme a PM, Soares já tinha passagem pela polícia por furto de fios de cobre.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.