Sérgio Castro/Estadão
Sérgio Castro/Estadão

PM agride motorista de ônibus e atira para o alto em briga de trânsito

Caso aconteceu na Avenida do Imperador, na zona leste de São Paulo; agente, que estava embriagado, roubou R$ 1 mil e foi preso

Felipe Cordeiro, O Estado de S.Paulo

03 Outubro 2017 | 22h22

SÃO PAULO - Um motorista de ônibus foi agredido, ofendido e ameaçado de morte por um policial militar de folga durante uma briga de trânsito na região de Itaquera, na zona leste de São Paulo. O PM deu coronhadas com uma arma de fogo no condutor, socos, tapas e chegou a efetuar disparos para o alto. O policial, que estava embriagado, ainda roubou cerca de R$ 1 mil do coletivo com a justificativa de que o valor seria usado para pagar o conserto de seu carro. O caso aconteceu na tarde do dia 24 na Avenida do Imperador. O agente de segurança foi preso.

+++ Polícia descobre túnel de ladrões que levaria a cofre do Banco do Brasil

Segundo o Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo (Sindmotoristas), o motorista da empresa VIP AE Carvalho dirigia um veículo da linha 253F-10 Terminal A.E. Carvalho/Terminal São Mateus quando se envolveu na discussão com o PM Rafael Batista Picossi, de 32 anos, após uma batida.

Pedestres filmaram com celular o momento em que Picossi ameaça atirar no condutor e dispara para o alto.

Veja abaixo:

O Sindmotoristas informou que o motorista está recuperado e já voltou a trabalhar. A cobradora que o acompanhava, porém, ficou abalada com a ocorrência e foi afastada por tempo indeterminado para acompanhamento psicológico.

Em nota, o sindicato classificou o agressor como "delinquente" e "covarde" e afirmou que está prestando o apoio necessário aos profissionais.

"Estou indignado com o fato de um trabalhador ser ameaçado de morte por um delinquente, um covarde que não tem respeito pela missão que ostenta na sociedade", afirmou o diretor do Sindmotoristas, Francisco Xavier, conhecido como Chiquinho.

Em um vídeo divulgado pela entidade, Xavier pede punição ao PM, a quem chama de "bandido transvestido de policial" e ressalta que o sindicato respeita a Polícia Militar do Estado de São Paulo e todos os órgãos de segurança pública.

+++ Impune, Massacre do Carandiru completa 25 anos

A Polícia Civil informou que o policial militar Rafael Batista Picossi foi autuado em flagrante pelos crimes de roubo, disparo de arma de fogo, embriaguez ao volante, ameaça e lesão corporal. Ele foi encaminhado ao Presídio Militar Romão Gomes, na zona norte da capital, e segue preso.

Já a PM declarou que a 1º Companhia do 37º Batalhão de Polícia Militar/Metropolitano (BPM/M) apura a conduta do agente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.