PM age rápido e sequestro dura apenas 10 minutos na zona leste de São Paulo

Motorista de 40 anos foi dominada na região de Itaquera por dupla que fingiu estar armada

Ricardo Valota, O Estado de S.Paulo,

21 Julho 2012 | 03h06

SÃO PAULO - Após a ação rápida de policiais militares da 4ª Companhia do 39º Batalhão, auxiliados pelas Rondas Ostensivas com Auxílio de Motocicleta (Rocam), um sequestro relâmpago realizado por dois criminosos, na região de Itaquera, na zona leste da capital, não durou mais que 10 minutos na noite de sexta-feira, 20. A vítima, uma funcionária pública de 40 anos, saiu ilesa.

 

Às 22h30, ao parar em um semáforo no início da Avenida Águia de Haia, a mulher, que estava ao volante de um Golf preto, modelo antigo, foi abordada por Sidney Paulino dos Santos, de 27 anos, e Carlos Alessandro Pinto de Souza, 30. Ao simular que portava uma arma, a dupla invadiu o carro da vítima, obrigando-a a se transferi para o banco do passageiro. Um dos bandidos assumiu o volante, o outro foi para o banco traseiro.

 

Uma testemunha que passava a pé pelo local desconfiou da cena, anotou a placa do Golf e ligou para o 190. O veículo foi localizado por uma das viaturas da PM e cercado, 10 minutos depois, na Avenida Campanella, cerca de 100 metros antes da Rua Catarina Lopes. Desarmados, os criminosos, que segundo a polícia já têm passagens por roubo e furto, renderam-se.

 

A intenção da dupla era obrigar a funcionária pública, que retornava para casa, a realizar saques em caixas eletrônicos da região. Segundo os policiais militares da viatura M-39408, Sidney e Carlos moram em Guaianazes, também na zona leste, porém mais no extremo da cidade. O flagrante foi registrado no plantão do 24º Distrito Policial, da Ponte Rasa.

Mais conteúdo sobre:
Sequestro reféns Itaquera perseguição

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.