Playcenter tem filas 1 semana após acidente

Uma semana após o acidente que deixou oito feridos e provocou a interdição do brinquedo Double Shock, o Playcenter recebeu pouco mais de 5.500 pessoas na Barra Funda, zona oeste de São Paulo, para um show com cantores de funk. Os ingressos foram vendidos antecipadamente e as bilheterias ficaram fechadas durante o dia. O evento já fazia parte do calendário do parque antes mesmo do acidente.

William Cardoso, O Estado de S.Paulo

11 de abril de 2011 | 00h00

No dia 3, uma trava de segurança do Double Shock se soltou e arremessou oito ocupantes de uma altura de sete metros. Todos foram internados; três pessoas ainda estão no hospital. Foi o segundo acidente com vítimas em pouco mais de sete meses. Em setembro, 16 pessoas ficaram feridas depois que dois carrinhos da montanha-russa Looping Star se chocaram.

Fora o Double Shock, os demais brinquedos funcionaram normalmente ontem. Quem foi ao parque disse que a preocupação ficou com quem permaneceu em casa. "Minha mãe falou que eu era louca de vir até aqui, mas falei que já tinha comprado o ingresso por R$ 50 há mais de um mês e que não desistiria por nada", afirmou a estudante Vanessa Miranda, de 18 anos.

Amiga de Vanessa, a também estudante Carla Lacerda Sabino, de 19 anos, disse que não teve medo de brincar no parque. "Iria em todos os brinquedos, se não fossem as filas", afirmou. As duas foram embora pouco antes das 17h, por causa da chuva que caiu na zona norte da capital no fim da tarde.

Segundo a administração do parque, o Playcenter recebe em média 14 mil visitantes por fim de semana. Anteontem, o público foi de aproximadamente 7 mil, movimento considerado normal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.