Playcenter: polícia suspeita de falha no freio da montanha-russa

Choque entre dois carrinhos do brinquedo Looping Star terminou na quinta-feira com 16 pessoas feridas

Marcela Spinosa, O Estado de S.Paulo

29 Setembro 2010 | 00h00

Peritos do Instituto de Criminalística (IC) constataram que a batida entre dois carrinhos na montanha-russa Looping Star, do Playcenter, às 12h40 de quinta-feira, não foi causada por pane nos veículos. Ontem, os peritos realizaram simulação do acidente que deixou 16 pessoas feridas - pelo menos dez crianças e adolescentes, de 10 a 16 anos.

"O carrinho teria de ter parado e não parou. Então, o que se presume é que o problema está no freio", disse o delegado titular do 23.º Distrito Policial (Perdizes), Marco Aurélio Batista, responsável pelo caso. O brinquedo está interditado desde o dia do acidente e a polícia negocia com o Playcenter uma data para remoção dos freios da montanha-russa.

As quatro peças responsáveis por fazer os carrinhos pararem serão enviadas para perícia no IC. "Como o carrinho andou normalmente (na simulação) o problema pode estar em um dos pontos de frenagem, mas isso a perícia vai dizer."

Ontem, o delegado ouviu duas vítimas do acidente (todas já receberam alta hospitalar) e em breve ouvirá os responsáveis do parque. Batista quer descobrir por que as Polícias Civil e Militar, além do Corpo de Bombeiros, só foram informados sobre a ocorrência seis horas depois de ela ter acontecido. "O que foi dito é que estavam preocupados com o socorro e a interdição do brinquedo."

Estado de saúde. Natália Lopes Costa, de 11 anos, teve fratura leve no nariz e foi a vítima mais grave do acidente. Na sexta-feira, a garota foi submetida a uma cirurgia no Hospital Metropolitano e foi liberada no mesmo dia. "Ela passa bem e se recupera em casa. O Playcenter está arcando com todas as despesas médicas e farmacêuticas", diz a assessoria do parque.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.