'Plano B' prevê receber voo charter para Copa

Um "plano B" para o Terminal 4, estudado pela concessionária GRU Airport, é transformá-lo em terminal de apoio para voos charter vindos de vários lugares do Brasil para os jogos e delegações na Copa de 2014. Até lá, o Terminal 3 estará pronto, segundo o cronograma da concessionária, o que vai desafogar o movimento dos terminais 1 e 2. O terceiro terminal será exclusivamente internacional, o 2 será misto e o 1 e o 4 dividirão o fluxo de passageiros domésticos.

O Estado de S.Paulo

17 de dezembro de 2012 | 02h03

Além disso, uma das queixas recorrentes sobre o Terminal 4 é a falta de opções de alimentação - tem apenas um café e uma lanchonete. A GRU Airport fechou contrato com mais duas, que inauguram lojas até janeiro. À época da inauguração, em fevereiro, a Infraero, que administrava antes o terminal, havia prometido 11 lojas para o mês seguinte.

Especialistas. Para o engenheiro e consultor em infraestrutura aeroportuária Mozart Mascarenhas Alemão, a decisão de construir o Terminal 4 foi acertada, mas, no futuro, o local vai deixar de ser essencial à operação do aeroporto. "Era necessário a Infraero tomar uma iniciativa para desafogar Guarulhos. Mas hoje discuto a necessidade do Terminal 4. A separação de fluxo entre terminais é complexa e ele acabou vazio", disse. "O certo é vermos o espaço como provisório, porque depois da construção do 3.º terminal pela concessionária o 4 vai perder sua importância."

Já o professor de Engenharia Aeronáutica da USP São Carlos James Waterhouse credita a ociosidade do Terminal 4 a um problema de administração. "Você tem uma parte do aeroporto que mal cabe a quantidade de passageiros que tem e outro completamente ocioso. Isso para mim é problema de gestão", afirmou. "É um péssimo sinal quando o operador aeroportuário não ataca nem esse tipo de problema, que é emergencial." / N.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.