Plano atenderá no máximo 40% da fila de alunos

Mesmo se tudo sair conforme deseja a Prefeitura, com aprovação da venda dos terrenos na Câmara Municipal, obtenção de bons preços no mercado e sucesso na construção das creches, a fila de vagas vai permanecer grande. Atualmente, 100.401 famílias esperam por lugar nas creches. A rede municipal consegue atender 130.412 crianças, o que representa 56% de toda a demanda.

Bruno Paes Manso, O Estado de S.Paulo

18 Março 2011 | 00h00

A venda dos três terrenos, segundo estimativas otimistas, renderia R$ 350 milhões ao Município, valor suficiente para construir 270 creches e atender 40 mil alunos - ou cerca de 40% da fila de espera. "Além do tamanho da fila, outro problema é que boa parte do atendimento vem sendo feito por terceiros, que recebem verba limitada e acabam prestando serviço inferior ao do Município", diz Maurício Broinizi Pereira, coordenador da Rede Nossa São Paulo.

O sucesso da empreitada municipal, além disso, é incerto. Em 2008, a Prefeitura já havia anunciado que lançaria edital para fazer uma parceria Público-Privada (PPP) e criar 40 mil vagas em creche. A iniciativa privada entraria com o terreno e construiria o prédio, enquanto a manutenção seria feita por organizações não governamentais. A Prefeitura pagaria pelas obras e serviços e, depois de 20 anos, receberia as creches. O Tribunal de Contas do Município contestou o projeto, que não saiu do papel.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.