Plano antiarrastão começa na 3ª, após 26 casos na capital

Na noite de anteontem, mais dois restaurantes foram alvo de criminosos; programa de vigilância vai começar pelo Itaim-Bibi

GIO MENDES, JULIANA DEODORO, O Estado de S.Paulo

22 de junho de 2012 | 03h05

São Paulo chegou à marca de 26 arrastões em bares e restaurantes neste ano e, para tentar conter a onda de violência na cena noturna da metrópole, ontem o governo estadual anunciou o programa Vizinhança Solidária no Itaim-Bibi, zona sul. A iniciativa, prevista para começar na terça-feira, dia 26, "convida" todos os moradores do bairro a colaborar com a polícia.

A medida da Secretaria da Segurança Pública, porém, ainda não beneficia os bairros onde ocorreram na noite de anteontem os dois novos arrastões. Estabelecimentos de Alto de Pinheiros, na zona oeste, e Moema, na zona sul, foram atacados por bandos armados.

O restaurante Esquina do Açaí, na Avenida Diógenes Ribeira de Lima, no Alto de Pinheiros, foi invadido por três criminosos armados por volta das 23h45 de anteontem. Truculentos com as vítimas, eles roubaram, em apenas dois minutos, bolsas, carteiras e celulares de 15 clientes, além de R$ 1 mil do caixa.

Dois clientes foram agredidos. Uma publicitária de 24 anos levou uma coronhada na testa quando um dos bandidos tentou pegar sua bolsa. Ela tentou puxá-la. "Ela ficou em estado de choque. É a primeira vez que esse tipo de ação ocorre com a gente. Dá sensação de medo e de não querer voltar a restaurantes", disse o namorado da vítima, um assistente judiciário de 25 anos. A jovem foi socorrida e levou dois pontos. Segundo ele, outro cliente foi agredido com uma coronhada e recebeu oito pontos.

A dona do Esquina do Açaí, Vera Alves Pereira Reis, de 42 anos, disse que, por questão de minutos, a ação não foi mais violenta. "Pouco antes da invasão dos bandidos, havia cerca de 40 pessoas aqui, durante o jogo do Corinthians e do Santos. O bar estava cheio. Por sorte, muitos deles já haviam ido embora", disse Vera.

Segundo testemunhas, os assaltantes fugiram em um Meriva prata, onde havia outros comparsas. O boletim de ocorrência foi registrado ontem no 14.º Distrito Policial (Pinheiros). Clientes também prestaram queixa no 7.º DP (Lapa).

Antes do arrastão no Esquina do Açaí, o restaurante Gattai Sushi, na Avenida Iraí, em Moema, zona sul, também foi invadido por bandidos. O assalto ocorreu por volta das 23 horas. Cinco ladrões chegaram armados ao local. Sem usar de violência física contra os clientes, eles levaram dinheiro, carteiras, bolsas e celulares de dez clientes que jantavam no restaurante de comida japonesa. Cerca de R$ 200 foram levados do caixa. A ação durou cinco minutos.

Os criminosos fugiram em dois carros - um Gol vermelho e um Honda City prata. A ocorrência foi registrada no 27.º DP (Campo Belo). Nem o Gattai nem o Esquina do Açaí tinham circuito interno de câmeras.

Plano. Com o crescimento dos arrastões, o governo estadual deu início à Vizinha Solidária no Itaim-Bibi. Segundo o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Roberval Ferreira França, o programa começa com o cadastramento de edifícios, condomínios e estabelecimentos de cada região.

"A principal diferença é que o sistema possibilita que, além das vítimas, outras pessoas também possam notificar atitudes suspeitas à polícia. Queremos que a comunidade se sinta dona de seu bairro e possa ser os olhos da polícia", disse França.

O secretário de Segurança Pública, Antônio Ferreira Pinto, disse que o governo tem reforçado as investigações e o policiamento para evitar arrastões. "Uma quadrilha solta faz vários assaltos. Estamos enfrentando isso, privilegiando as ações de Vizinhança Solidária."

Para o governador Geraldo Alckmin, o trabalho da PM já deu resultados. "Tivemos 30 presos e 14 casos resolvidos. Vamos intensificar os trabalhos."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.