Placas com aviso de radares estão escondidas em avenidas de São Paulo

Em 10 vias da cidade, de 44 sinalizações, 18 estavam parcial ou completamente encobertas, contrariando o Código de Trânsito

Luísa Alcalde, O Estadao de S.Paulo

15 Março 2010 | 00h00

Avenida São Gualter. No trecho de Pinheiros, no sentido da Lapa, não se vê corretamente a indicação da lombada eletrônica, que fica poucos metros adiante

JORNAL DA TARDE

Placas que sinalizam radares ou a velocidade máxima permitida estão encobertas por árvores em dez avenidas importantes de São Paulo, impedindo a visão do motorista. O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) determina que a sinalização informativa de velocidade e fiscalização deve ficar visível para o motorista.

Na semana passada, a reportagem percorreu as Avenidas Domingos de Morais, Jabaquara e Ibirapuera, na zona sul; Francisco Matarazzo, Pompeia, São Gualter e Cerro Corá, na oeste; Alcântara Machado, na região leste, e Luís Dumont Villares e Ataliba Leonel, na norte. Nessas vias, das 44 placas indicativas de radares, 18 estavam parcialmente visíveis ou encobertas. Em alguns casos não havia sinalização dos equipamentos. No ano passado, a Prefeitura bateu recorde de arrecadação com multas (mais informações nesta página).

Toda a fiscalização eletrônica de velocidade obrigatoriamente deve ser sinalizada com placas colocadas a distâncias variáveis do radar, dependendo do limite permitido. Na maioria das vias urbanas, a distância fixada pelo Código de Trânsito Brasileiro é entre 100 e 300 metros. Uma resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) de maio de 2007 reforçou a proibição de instalação dos radares de velocidade escondidos em meio a árvores, atrás de postes, muros ou sem sinalização.

Quem sobe, por exemplo, pela pista da direita da São Gualter, em Pinheiros, sentido Lapa, antes do Supermercado Bon Marchê, não enxerga a placa que indica a lombada eletrônica poucos metros depois. Na Pompeia, sentido Heitor Penteado, no número 1.072, a placa que deveria avisar da presença do radar está totalmente encoberta por galhos de árvores do canteiro central e não há sinalização de velocidade. O problema repete-se na Ibirapuera, sentido Cebolinha, na frente do Clube Ipê.

Na Vila Mariana, nos dois sentidos das Avenidas Domingos de Morais e Jabaquara, placas novas foram colocadas atrás de arbustos, o que impossibilita a visão do motorista que trafega pelas faixas da direita ou da esquerda, ao lado dos canteiros centrais ou junto ao meio-fio. Nesses pontos, só é possível visualizar a informação quando o veículo está embaixo da placa ou muito próximo do radar. Em ambas as avenidas, apesar das placas, os equipamentos ainda não haviam sido instalados - há duas semanas.

Variações. A fiscalização eletrônica de velocidade em São Paulo é feita com os seguintes equipamentos: portátil (pistola manual), móvel (geralmente acorrentado a um poste e colocado ao lado da pista), fixo (os pardais) ou lombada eletrônica (eficiente para fiscalizar trechos com velocidade reduzida). A Prefeitura informou que vai instalar mais 125 radares nas ruas da cidade até o fim do ano - 80 fixos. Algumas das máquinas já estão posicionadas, à espera de homologação.

Solução

A Secretaria das Subprefeituras informou que atende às solicitações de poda feitas pela Companhia de Engenharia de Tráfego. Já a CET não soube informar ontem se já havia solicitações para os locais citados na reportagem

PONTOS-CHAVE

O que diz a lei

A resolução 146 do Contran estabelece que é obrigatória a utilização de sinalização vertical (placas), informando a existência de fiscalização de velocidade nas vias onde há radares

Mínimo

100 metros

É a distância mínima em que deve ficar a sinalização de radar, em vias com velocidade máxima inferior a 80 km/h

Máximo

500 metros

É a distância máxima em que deve ficar a sinalização de radar, em vias com velocidade limite maior do que 80 km/h

Como recorrer

Se o motorista se sentir prejudicado, ele pode apresentar recurso contra a autuação - usando até fotos, se quiser. A prova se dá por meio do levantamento da sinalização existente na via

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.