Estadão
Estadão

Pista local das marginais terá velocidade de 50 km/h

Mudança começa a valer a partir do dia 20 de julho; pista expressa passa de 90 km/h para 70 km/h

O Estado de S. Paulo

06 Julho 2015 | 15h35

Atualizada às 21h11

SÃO PAULO - A partir do dia 20, todas as pistas das Marginais do Pinheiros e do Tietê, na capital paulista, terão as velocidades máximas reduzidas para carros e caminhões. De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), nas faixas locais, a redução será dos atuais 70 km/h para 50 km/h.

Nas pistas centrais, a velocidade passa de 70 km/h para 60 km/h, enquanto nas faixas expressas a diminuição será de 90 km/h para 70 km/h. A medida faz parte de um plano da Prefeitura de São Paulo para reduzir o número de atropelamentos e mortes nas vias.

Em 2014, foram registradas 555 mortes no trânsito de São Paulo. Deste total, 39 pessoas morreram na Marginal do Tietê e outras 31 na Marginal do Pinheiros – ambas estão no topo do ranking das vias com o maior número de mortes na cidade. Nas duas marginais, 24 pedestres morreram atropelados no ano passado. 

Os veículos pesados, que antes podiam trafegar a 70 km/h nas vias expressas, terão de andar a 60 km/h, também a partir do dia 20. Inicialmente, os secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto, havia afirmado que a velocidade mínima seria de 60 km/h. Os 50 km/h, de acordo com ele, seriam uma ressalva em alguns pontos das marginais. A afirmação foi feita no dia 16 de junho, durante uma coletiva de imprensa. 

Inicialmente, o plano da Prefeitura era de fazer a redução da velocidade das marginais com a inauguração da última parte do Trecho Leste do Rodoanel Mario Covas – que liga as Rodovias Ayrton Senna e Presidente Dutra – no dia 26 de junho.

Educação. Sérgio Ejzenberg, mestre em Transportes pela Universidade de São Paulo (USP), defende a redução da velocidade nas Marginais do Tietê e do Pinheiros. Segundo o especialista, no entanto, além da diminuição, a Prefeitura precisa investir mais em educação de trânsito para reduzir o número de acidentes e de mortes nas vias. 

“Somente na madrugada, os motoristas conseguem atingir a velocidade máxima permitida nas vias. Durante os horários de pico e entre pico dos dias úteis e nos fins de semana, o motorista vai gastar dez minutos a mais. (A redução) não prejudica a vida do motorista”, afirmou.

Mais conteúdo sobre:
São Paulo Trânsito Mobilidade CET

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.