Alexandre Pimenta/Pirituba.Net
Alexandre Pimenta/Pirituba.Net

Pirituba: berço do rúgbi no Brasil

Ingleses usavam campo do bairro para praticar a modalidade no século XIX

Luiz Felipe Barbiéri, O Estado de S. Paulo

03 de setembro de 2015 | 23h38

Resultado da influência dos europeus, a tradição do rúgbi em Pirituba teve início no século XIX.  Embora a primeira equipe tenha sido fundada no Rio de Janeiro em 1891, foi no bairro da zona oeste paulistana que a modalidade se consolidou. Na época, os cariocas do Clube Brasileiro de Futebol Rugby acabaram não dando continuidade ao projeto.

Em Pirituba, os primeiros chutes na bola oval foram dados por comerciários e engenheiros que trabalhavam na construção da estação de trem do bairro. Era 1888 e surgia o São Paulo Athletic Club (SPAC), fundado por ingleses e que sempre teve o rúgbi como atividade entre seus associados. O clube é considerado o mais antigo da cidade. Um de seus sócios era o paulistano do Brás Charles Miller, considerado pai do futebol (e do rúgbi) no país.

Os ingleses precisavam de um espaço para praticar. “Começaram a jogar no Campo dos Engenheiros. Até então, ninguém conhecia o esporte”, explica Alexandre Pimenta, autor do site Pirituba.Net, que pesquisa e divulga a história da região. O tal espaço, também conhecido como Campo dos Ingleses, pertencia à ferrovia São Paulo Railway. Foi lá que Miller, em 1895, organizou a primeira equipe de rúgbi de São Paulo. Mas o time acabaria no ano seguinte, porque ele decidiu se dedicar exclusivamente ao futebol.

O esporte viria a ganhar corpo no país em 1925, com a reestruturação do rúgbi no SPAC. A modalidade passou a ser praticada com mais regularidade e surgiram equipes em outras cidades. Foi nesse ano que James Macintyre e Gordon Rule fundaram o segundo clube de São Paulo, o Britânia Football Club. Rio de Janeiro e Santos também ganharam seus primeiros representantes em 1925.

Hoje, em Pirituba, a tradição continua com o Pirituba Rugby Clube. No entanto, a equipe não tem local para treinar no distrito. Eles utilizam o Centro Esportivo Tietê, na Luz, para se preparar para os jogos. 'Precisamos de um centro esportivo aqui em Pirituba. Lutamos por um lugar em que beisebol e rúgbi possam jogar. O Campo dos Engenheiros virou escolinha de futebol', afirma Pimenta.

Tudo o que sabemos sobre:
bairrossppiritubarúgbi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.