Dário Stecker dos Santos/AE
Dário Stecker dos Santos/AE

Piora saúde de jovem que esperou três dias por socorro após acidente em SP

Caroline Soares voltou para UTI após queda na pressão; exames apontaram embolia pulmonar

Chico Siqueira, especial para O Estado de S.Paulo

02 de fevereiro de 2012 | 20h34

ARAÇATUBA - A comerciária Caroline Laila Soares, de 19 anos, resgatada após ficar 72 horas ferida esperando por socorro com parte do corpo dentro de um córrego, teve de ser levada de volta à Unidade de Terapia Intensiva (UTI) nesta quinta-feira, 2. Médicos constataram que ela ela apresentava embolia e derrames pleurais.

Caroline tinha sido transferida na quarta-feira para o quarto, mas durante a noite apresentou queda de pressão de de oxigênio (PO2), que caiu para 60% (o ideal é no mínimo 90%). Ao ser submetida a exames radiológicos, de tomografia e ecocardiograma, os médicos detectaram a embolia, possivelmente causada por três fraturas nos ossos da bacia e duas na perna. Também perceberam os derrames.

A vítima passou por drenagem torácica, de onde foi retirado quase 1,8 litro de líquido. Segundo o médico Edson Betiol, Caroline apresenta desnutrição e metabolismo prejudicado. Entre a medicação que está recebendo está uma para evitar que sofra uma trombose venal profunda, o que poderia agravar ainda mais seu estado de saúde.

Na noite de 26 de janeiro, o carro que Caroline dirigia caiu em uma ribanceira às margens da Rodovia Elieser Montenegro Magalhães (SP-463), no município de Populina, interior de São Paulo. Apesar da gravidade do acidente e de estar ferida, Caroline conseguiu sair do carro, mas não pode andar, ficando no local até a noite do domingo, quando foi avistada por um motorista que passava pelo local e acionou o socorro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.