Pinheiros, centro e Paulista têm mais espaços gays

Estudo feito pelo Observatório do Turismo mapeou 76 estabelecimentos na cidade para o público GLS, entre bares, casas noturnas e restaurantes

PAULO SALDAÑA, O Estado de S.Paulo

01 Junho 2013 | 02h03

Três bairros paulistanos concentram a maior parte da oferta de atrações voltadas para o público gay que deve lotar a cidade neste fim de semana por causa da Parada do Orgulho LGBT: Pinheiros, Paulista e centro. Além da programação oficial do evento, há 17 bares, 23 casas noturnas, 7 festas e 11 restaurantes voltados exclusivamente para esse público ou muito frequentado por gays.

Segundo o estudo Mercado GLS Paulistano, feito pelo Observatório do Turismo, ligado à empresa municipal São Paulo Turismo (SPTuris), a cidade tem 76 estabelecimentos com esse perfil. Além dos bairros próximos à Avenida Paulista - que concentra a Parada no domingo -, o levantamento mapeou endereços em bairros como Barra Funda, Butantã, Vila Mariana, Brás, Ipiranga e São Mateus.

A Parada Gay é um dos 17 eventos considerados estratégicos para o turismo da cidade - com um público de 4,5 milhões registrado no ano passado, segundo a SPTuris. Ao todo, movimenta R$ 188 milhões, incluindo gastos de hospedagem, alimentação, compras e transporte na cidade. Só perde em movimentação financeira para dois eventos: o Salão Internacional do Automóvel e o Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1.

Lucros. Divulgado nesta semana, o estudo mostrou que a parada é sinônimo de lucro principalmente para estabelecimentos gay friendly. A movimentação gerada nesta semana é quase três vezes maior do que em outros períodos. Só os valores arrecadados com entradas e consumação mínima alcançam R$ 3,2 milhões, enquanto em uma semana comum o valor é de R$ 1,14 milhão, em média.

Juntos, os 76 espaços mapeados na pesquisa recebem, em média, 44,9 mil pessoas por fim de semana. Mas, na semana da parada, o número atinge média de público de 94,8 mil.

Em 2012, pesquisa da Prefeitura feita durante a parada estimou que cada visitante gastou R$ 1.272,45 em um período de 3,6 pernoites na cidade. De acordo com a pesquisa, 37,9% frequentaram bares, festas e casa noturnas - com um gasto médio de R$ 226,80 por noite.

Fora do armário. O tema deste ano da parada é Para o Armário Nunca Mais! União e Conscientização na Luta Contra a Homofobia. O evento terá pelo menos três trios a mais do que em 2012 - passou de 14 para 17. Um deles, da cantora Daniela Mercury, será patrocinado pela Bahia.

A concentração na Avenida Paulista está marcada para as 10h de amanhã- horário em que começarão as interdições na região. Já na Praça da República, os bloqueios terão início ao meio-dia (veja acima). Por causa da parada, a ciclofaixa de lazer não será ativada na Paulista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.