Pilotos do Legacy não vão perder licença

A Federal Aviation Administration (FAA), órgão americano que regulamenta a aviação civil, rejeitou um pedido de deputados federais brasileiros para revogar as licenças dos pilotos americanos envolvidos na queda do voo 1907 da Gol, em 2006.

Eduardo Roberto, O Estado de S.Paulo

07 de maio de 2010 | 00h00

Os deputados Milton Monti (PR-SP) e Jaime Martins (PR-MG) e um advogado que representa as famílias das 154 vítimas do acidente apresentaram, no dia 13, em Washington, o pedido de sanção aos pilotos Joseph Lepore e Jan Paladino. Em 29 de setembro de 2006, o jato Legacy pilotado pela dupla se chocou durante o voo com o Boeing 737 da Gol, que caiu em Mato Grosso. A FAA determinou que as provas eram insuficientes para a adoção de medidas contra os pilotos.

Para o advogado de defesa no Brasil, Theo Dias, o pedido de cassação faz parte da tática jurídica das famílias, encabeçada pelo advogado Dante D''Aquino, que também é assistente da promotoria do Ministério Público em ação que corre em solo brasileiro contra os americanos e os controladores de voo. "A FAA é um dos órgãos mais rígidos do mundo. Não iriam negar esse pedido com base em nacionalismo", disse Dias. "Os pilotos continuam voando, o que é um indício de que se confia neles."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.