Pichadora da Bienal é detida por tentativa de furto em SP

Caroline e duas amigas teriam tentado levar DVD de uma loja; ela ficou presa 53 dias por pichação

Daniela do Canto, do Jornal da Tarde, e Ricardo Valota, do estadao.com.br,

23 Janeiro 2009 | 05h15

Pouco mais de um mês após deixar a cadeia, para onde foi levada depois de pichar o "andar vazio" da 28ª Edição da Bienal de São Paulo, Caroline Pivetta da Mota, de 24 anos, foi detida em flagrante novamente, desta vez sob a acusação de tentativa de furto de DVDs. Ela estava com duas colegas quando deixava uma unidade das Lojas Americanas na região do Itaim Bibi, na zona sul de São Paulo, no final da tarde da quinta-feira, 22. Segundo a polícia, as imagens foram gravadas pelo circuito interno de câmeras do estabelecimento.   O advogado de Carolina, Augusto Arruda Botelho, alegou que o furto não teria se caracterizado. Segundo ele, uma das amigas de Carolina resolveu furtar DVDs, mas depois se arrependeu e deixou o objeto no local, antes de sair da loja. "O que aconteceu lá dentro pode ser definido como 'arrependimento eficaz'. A menina pegou o DVD, colocou na sacola e desistiu de levá-lo, deixando lá no local, antes de sair", explicou. "Nada foi encontrado com elas, então não há a materialidade do suposto furto", acrescentou.   A delegada do 15º Distrito Policial (Itaim Bibi), onde o caso foi registrado, não concordou com a versão do advogado e autuou as três jovens em flagrante. Caroline agora deve ser encaminhada a um Centro de Detenção Provisória (CDP).   No dia 26 de outubro do ano passado, Caroline foi detida em flagrante pichando o "andar vazio" da 28ª Edição da Bienal de São Paulo, no Parque do Ibirapuera. Ela ficou presa por 53 dias na Penitenciária Feminina de Sant'anna, de onde saiu no dia 19 de dezembro, após o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo reconsiderar o pedido de habeas corpus feito pela sua defesa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.