PF teme resgate e busca transferência de traficante colombiano

A Polícia Federal, inclusive, reforçou a segurança de sua sede na Lapa, zona oeste de SP, onde ele está preso

REUTERS

09 de agosto de 2007 | 19h38

A Polícia Federal quer transferir "o mais brevemente possível" o colombiano Juan Carlos Abadia para um presídio de segurança máxima por temer uma tentativa de resgate do criminoso, considerado um dos maiores traficantes do mundo.A PF reforçou a segurança de sua sede em São Paulo, onde ele está preso. "Foi preciso reforçar a segurança, já que, com um criminoso como esse, não podemos deixar de considerar a hipótese de uma tentativa de resgate", disse a jornalistas o superintendente da PF em São Paulo, Jaber Saadi.De acordo com Saadi, mais funcionários foram destacados para atuar como carcereiros na custódia da PF e o número de homens que cuidam da segurança na entrada do prédio da PF, na zona oeste de São Paulo, também foi reforçado.Existem três locais para onde Abadia, também conhecido como "Chupeta", pode ser transferido: os presídios federais de Catanduvas, no Paraná, e de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, além da penitenciária estadual de Presidente Bernardes, no interior paulista.A decisão sobre a transferência de Abadia ficará a cargo da Justiça Federal de São Paulo, mas fontes da PF disseram acreditar que o colombiano seja transferido para Campo Grande por razões processuais. Mato Grosso do Sul compõe, ao lado de São Paulo, a 3a região da Justiça Federal.Autoridades da PF, no entanto, informaram já terem entrado em contato com representantes da Secretaria de Administração Penitenciária de São Paulo para saber sobre a possibilidade de acomodar Abadia numa cela de Presidente Bernardes.Abadia, de 44 anos, um dos homens mais procurados pelas autoridades dos EUA, foi preso na terça-feira pela Polícia Federal em um condomínio de luxo em Aldeia da Serra, em Barueri, na Grande São Paulo, durante uma operação contra uma quadrilha internacional de narcotráfico e lavagem de dinheiro.O colombiano teve decretada na noite de quarta-feira pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a prisão preventiva "para fins da extradição formulada pelo governo dos Estados Unidos". A prisão para extradição é o primeiro passo para que o colombiano possa ser extraditado.Agora, Washington deve pedir a entrega do traficante, segundo um porta-voz do STF. O processo contra Abadia tramita no Distrito Oeste de Nova York.O porta-voz da Embaixada dos EUA, Richard Mei, disse que o pedido formal de extradição de Abadia estava em processo. A PF informou, após a prisão, que "Chupeta" também é acusado de ordenar 15 homicídios nos Estados Unidos, inclusive de policiais, e outros 300 na Colômbia.A sentença do STF lembra que no processo consta que Abadia "se submeteu a uma extensa cirurgia plástica" para se esconder e poderia ter uma identificação argentina, sob o nome de Marcelo Javier Undue. No Brasil, ele estabeleceu uma rede de negócios por meio da qual lavava dinheiro do tráfico, segundo as autoridades.(Por Guilherme Vieira, texto de Eduardo Simões, com reportagem adicional de Julio Villaverde e Angus MacSwan)

Tudo o que sabemos sobre:
MANCHETESCRIMEABADIATRANSFERE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.