PF instaura inquérito policial para investigar acidente da TAM

Perícia técnica avaliará a qualidade da pista de Congonhas, onde ocorreu o acidente

Pedro Henrique França, da Agência Estado,

18 de julho de 2007 | 18h26

A Polícia Federal informou que instaurou nesta quarta-feira, 18, inquérito policial para apuração dos fatos relacionados com o acidente da TAM, maior tragédia da história da aviação brasileira na qual morreram 190 pessoas. Segundo a PF, a investigação tem por objetivo definir, por meio de perícia técnica especializada, a condição e qualidade da pista de pouso e decolagem do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, onde ocorreu o acidente.   Veja também: Lista das 186 vítimas do acidente O local do acidente Opine: o que deve ser feito com Congonhas?  Os piores desastres aéreos do Brasil A cronologia dos acidentes em Congonhas Conheça o Airbus A320 Galeria de fotos Assista a vídeos feitos no local do acidente Conte o que você viu e o que você sabe   A meta é avaliar se, de fato, a pista poderia ter sido liberada para utilização e ainda identificar eventual responsabilidade de agentes públicos, ou de particulares, sobre essa possível aprovação da pista em obras sem o cumprimento dos requisitos técnicos necessários, no caso as ranhuras que ajudam na frenagem de aviões.   A PF informa ainda que o inquérito será conduzido pelo delegado Frederico Guinsburg Saldanha e contará com a participação de oito peritos criminais federais, especialistas nas áreas de engenharia de solo e asfalto, assim como identificação humana.   O Airbus da TAM saiu de Porto Alegre, às 17h16, e tentou pousar na pista de Congonhas às 18h46. A aeronave não conseguiu realizar o pouso, atravessou a Avenida Washington Luis e colidiu com um depósito da TAM Express, provocando uma explosão. A TAM informa que 186 passageiros estavam a bordo. As outras vítimas eram pessoas que estavam no prédio no momento do choque.

Mais conteúdo sobre:
vôo 3054

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.