PF e criminosos trocam tiros em arrastão na Marginal do Tietê

Conforme a PF, os criminosos aproveitaram o congestionamento das 19h para assaltar os motoristas

José Dacauaziliquá e Camilla Haddad, de O Estado de S. Paulo,

02 de julho de 2008 | 20h23

O advogado José Diniz Guidolin, de 51 anos, foi atingido por uma bala perdida, terça-feira, 1º, na Marginal do Tietê, próximo da Vila Guilherme, na zona norte da capital paulista. De acordo com a Polícia Federal, 15 criminosos aproveitavam o congestionamento para fazer um arrastão. Mas dois agentes da PF reagiram. Dois acusados pelo crime foram mortos. O resto do bando fugiu.   Esse foi o segundo caso de bala perdida na cidade em quatro horas. Às 15h10 do mesmo dia, três pessoas que passavam na calçada da Avenida Brigadeiro Faria Lima, em Pinheiros, na Zona Oeste, foram atingidas por criminosos que roubaram um malote com R$ 8mil de um motoboy que havia saído de uma agência bancária.   O caso da Marginal aconteceu às 19h. De acordo com assessoria de imprensa da PF, os agentes seguiam de Guarulhos, na Grande São Paulo, para a Capital, numa viatura "fria" (sem logotipo). Na saída da Rodovia Presidente Dutra, eles pegaram a pista expressa, mas o trânsito logo parou. Também na pista local.   Ainda conforme a PF, os criminosos, alguns deles armados, aproveitaram o congestionamento para assaltar os motoristas. Sem saber que se tratava de uma viatura policial, os ladrões tentaram roubar os agentes federais.   Os policiais saíram do carro e reagiram. Houve, de acordo com a PF, uma troca de tiros com os criminosos. Dois assaltantes foram baleados. Um deles morreu na hora. O outro, chegou a ser socorrido mas não resistiu aos ferimento e morreu ao chegar ao hospital.    Guidolin, que havia parado seu Honda Civic por causa do trânsito, também levou um tiro. A polícia não soube dizer de onde partiu a bala, e se o atirador tinha ou não intenção de atingir o advogado. O tiro acertou o pescoço da vítima. Ela foi levado a um Pronto-Socorro municipal e transferido para o Hospital Sírio Libanês, onde passou por uma cirurgia e permanecia, nesta quarta-feira, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).   O caso foi encaminhado ao 19º Distrito Policial, na Vila Maria, onde foi registrado. Depois o caso foi registrado na Superintendência da PF, na Lapa, Zona Oeste, onde um inquérito policial foi instaurado. Uma equipe de agentes deverá continuará a apuração.

Tudo o que sabemos sobre:
violênciaarrastãomarginal do tietê

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.