PF detém pedófilo procurado pelo FBI

Brasileiro de 22 anos, que também era investigado pela polícia do Reino Unido, morava em um quarto alugado na periferia de Campinas

TATIANA FÁVARO / CAMPINAS, O Estado de S.Paulo

24 de setembro de 2011 | 03h04

A Polícia Federal prendeu ontem um rapaz de 22 anos suspeito de colocar vídeos e fotos com pornografia infantil na internet. Procurado pela polícia do Reino Unido e investigado pelos EUA em 2010 sem ter sido identificado, o homem que usava o apelido de Preteenrio foi preso no quarto no qual vivia de aluguel, em uma casa no Jardim Campos Elíseos, periferia de Campinas.

Segundo o delegado da Polícia Federal em Campinas, Jessé Coelho de Almeida, o suspeito - que é carioca e não teve o nome divulgado - estava dormindo quando os agentes chegaram, às 6h30. O computador com 500 arquivos de fotos e vídeos estava ligado. "Ele não negou a posse do material e confirmou que tem e transmite as imagens. Disse que não fazia isso todos os dias e que deixava o computador ligado cinco noites por mês, para download dos arquivos", disse Almeida.

As imagens eram colocadas na rede por meio do programa Gigatribe, que é usado para compartilhamento de arquivos em massa. Em 78 megabytes de fotos e 5 gigabytes de vídeos a polícia encontrou imagens de abuso sexual de crianças e adolescentes, a maioria meninos e crianças estrangeiras. Segundo o delegado, embora a PF tenha encontrado imagens de crianças brasileiras, não foram achados indícios de que o rapaz produzia imagens.

Segundo informações da PF, o apelido Preteenrio é comumente associado a arquivos ou pessoas que se interessam por pornografia infanto-juvenil. A tradução seria "Pré-adolescente Rio". A fotografia do usuário do perfil era, de acordo com a PF, a de duas crianças fazendo sexo.

O quarto alugado pelo rapaz ficava nos fundos de uma casa na qual mora uma criança. O delegado informou que a família que vive na casa da frente não tem envolvimento na atividade do rapaz e que a criança não chegou a ser abordada pelo suspeito.

Perfil falso. A investigação da Polícia Federal começou em agosto. Uma agente criou um perfil falso e fez contato com Preteenrio. Ela disse ao suspeito que tinha arquivos de pornografia infantil e gostaria de ter acesso aos que o investigado tinha. "A policial convenceu o suspeito a mandar os arquivos. Ele enviou na semana passada e, identificado o IP, pedimos busca e apreensão no endereço", afirmou o delegado da PF.

Segundo Almeida, havia ao menos dois anos que Preteenrio trocava arquivos desse tipo pelo aplicativo. O rapaz tinha passagem comprada para a manhã desta sexta-feira, com destino ao Rio, onde tem parentes.

O suspeito foi investigado pela PF em 2010, a partir de informações do FBI, a agência de investigação americana. O rapaz foi indiciado por divulgar imagens de pornografia infantil e ter posse do material, além de porte de drogas, pois no quarto dele também foi apreendida porção de maconha. O rapaz foi levado para o 2.º DP de Campinas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.