PF apura ''piada de mau gosto'' publicada no exterior

A Polícia Federal de Rondônia investiga a existência de um suposto restaurante que serviria carne humana e virou notícia ontem na Europa depois que o jornal inglês The Guardian, a revista semanal alemã Der Spiegel e a agência EFE noticiaram a abertura de uma filial em Berlim. Chamado de Flimé, ele ficaria a 5 quilômetros de Guajará-Mirim e a 320 de Porto Velho.

Cíntia Bertolino, O Estado de S.Paulo

27 de agosto de 2010 | 00h00

"Isso não passa de uma piada de muito mau gosto. Estamos levantando as informações necessárias para tomar medidas judiciais cabíveis", afirmou Julio Mitsuo Fujiki, delegado da Polícia Federal de Guajará-Mirim.

Chefe de gabinete da prefeitura da cidade, Décio Keher Marques disse ao Estado que o lugar descrito "não existe".

No fim da tarde de ontem, o prefeito Atalibio José Pegorini comunicou, por meio de nota oficial, desconhecer a existência de um estabelecimento desse tipo "que fira os bons costumes e as legislações municipal, estadual e federal". Segundo a nota, uma comissão de investigação foi montada e o município cobrará judicialmente os danos causados à imagem da cidade. "Já acionamos a Polícia Federal e a Interpol", afirmou Marques.

O restaurante teria como inspiração gastronômica o hábito antropofágico dos índios Wari. E serviria carne humana proveniente de doações. O suposto dono se identifica como Eduardo Amado.

No site do restaurante - hospedado na Inglaterra e escrito em português de Portugal -, há um cadastro para quem quiser "associar-se".

Após responder a perguntas do tipo "é fumante?", há a seguinte observação: "Os membros associados do Flimé concordam em doar para o Flimé qualquer parte de seu corpo, que será determinada pelo próprio associado. O Flimé assumirá apenas os custos hospitalares."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.