Valéria Gonçalvez/Estadão
Valéria Gonçalvez/Estadão

Pets ganham espaço em shoppings para sair na foto com o Papai Noel

Estabelecimentos comerciais da capital e da região metropolitana de São Paulo criaram poltrona especial para bichos de estimação

Priscila Mengue, O Estado de S.Paulo

02 Dezembro 2018 | 03h00

SÃO PAULO - “Hoje foi o dia de levar minha cartinha para o Papai Noel.” A frase foi publicada em um perfil de rede social há alguns dias, mas com um detalhe fora do usual: no lugar de uma criança, uma cachorra aparece na fotografia.

O registro foi feito em um dos 13 shoppings de São Paulo e da região metropolitana que incluíram o “trono pet” ao lado da poltrona do bom velhinho. A iniciativa se repete também em outros Estados, como Ceará, Paraná e Rio.

A empresária Helena Torres, de 62 anos, já levou duas vezes os cães Bali e Céu, de 4 e 3 anos, respectivamente, para visitar o Papai Noel do Shopping Ibirapuera, na zona sul. “Hoje trouxe também a minha neta (Valentina, de 1 ano e meio). Mas esses aqui também são meus netos, os netos de quatro de patas.”

Na noite de Natal, os dois cães (raça cavalier king charles spaniel) são vestidos com roupa temática e ganham presente. Em 2017, por exemplo, Bali ganhou uma bola, enquanto a fêmea recebeu um bicho de brinquedo. “Tem de dar para a neta. Como não dar para eles (cachorros)? Eles ganham no Natal, no Dia das Crianças...”

Papai Noel há 18 anos, Djalma Mazzini, de 68, conta que os cãezinhos costumam se comportar bem. “São todos muito dóceis. Até agora nenhum pediu presente, mas até pirulito já dei. Abri, e ele deu uma lambida”, diverte-se.

O “trono pet” é sinalizado com uma placa em forma de osso no Shopping Ibirapuera. Mas, na prática, a maioria dos cães se senta na poltrona, junto do Papai Noel. “Teve um que me deu beijinho, me lambeu bem na hora da foto. Dizem que foi muito bem aceito, que todo mundo curtiu no Facebook”, conta o bom velhinho. 

Mazzini explica que, primeiro, pergunta se o cão é dócil e estende as costas da mão para ser farejado. Até a “noelete” Andressa Rosa, de 28 anos, levou o cão pug Torrada para posar no local. “É como se fosse um filho, tem de tratar bem.”

O “trono pet” também é adotado pelo Shopping Villa-Lobos, zona oeste, há três anos. Papai Noel no local, Demétrio Koch, de 67 anos, conta que já apareceram cães dos mais variados portes, com crianças ou só com um adulto. “Varia muito. Tem uns que parecem com um bezerro, e outros pequeninos, mas são todos obedientes.”

Mas ele lembra que, mesmo antes do “trono pet”, clientes já levavam cachorros para tirar fotos. “Só que colocam na frente (no chão, perto dos pés). Aumentou muito. Por enquanto, foi só cachorro, mas pode ser gato, iguana, o que tiver. Só não me traz jiboia, que tenho pavor.” 

A cirurgiã-dentista Luciana Costa, de 48 anos, conta que o cão Benji, da raça spitz alemão, foi em direção ao Papai Noel assim que o viu. “Como ele é filhote (tem 9 meses), é levado, ficou lá, de boa. Vai ser o nosso primeiro Natal com ele.” 

Com 9 meses, o buldogue francês Spock fez a médica Ana Cláudia Nogueira, de 41 anos, voltar a frequentar a parte natalina do shopping. “Meu filho está com 11 anos, já não quer saber mais de Papai Noel. Adoro Natal, é uma festa familiar.”

Shopping gaúcho adere ao 'trono pet' após pedido de estudante

Em alguns casos, o trono veio após uma reivindicação. Em 2017, a estudante de Veterinária Mariana Brito, de 30 anos, pediu um “trono pet” ao Shopping Iguatemi de Porto Alegre. Deu certo: este ano, levou Toquinho para ser o primeiro a ser fotografado ao lado do Papai Noel. “O legal é que agora as pessoas nos mandam fotos dos seus pets lá”, diz. 

Toquinho foi abandonado na clínica em que Mariana trabalha há cinco anos. Desde então, participa ativamente do Natal. “Ele participa da festa como um membro da família, até do amigo secreto. O Toquinho é ser muito especial, não por ser cadeirante, mas por ser uma inspiração a muita gente.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.