'Personal Natal' vira moda entre paulistanos

Especialistas vão à casa dos clientes cuidar da árvore e de outros detalhes da festa

VALÉRIA FRANÇA, O Estado de S.Paulo

17 Novembro 2011 | 03h06

A empresária Marilda Mendes, de 63 anos, começou a pensar nos enfeites de Natal em abril, época das feiras de decoração do setor. Queria atualizar-se sobre tendências e escolher sem correria o que colocar na árvore. Tudo isso com a ajuda de um "personal Natal", profissional especializado na decoração de fim de ano que vai montar em sua casa um pinheiro de quase 3 metros, além de enfeitar outros cantos da sala para o 25 de dezembro.

Contratar um "personal Natal" para tratar dos detalhes da decoração natalina é um serviço que vem ganhando espaço entre paulistanos. Já há profissionais com agenda fechada para novembro, sem horário disponível. Em geral, são arquitetos ou decoradores de lojas especializadas em enfeites que cumprem o papel.

Desde agosto. É o caso da equipe da Cecilia Dale, rede de lojas de decoração, que monta e desmonta a árvore na casa dos clientes. "Elas começam a ligar em agosto para reservar lugar", diz Paola Dale, gerente de Marketing da empresa.

Na loja, as vendedoras oferecem enfeites personalizados. Depois, enviam o profissional para montar a árvore e até fazer a guirlanda. "Uma das clientes nos pediu neste ano para preparar seis árvores - em ambientes diferentes do casarão e nas casas da fazenda e dos filhos", diz Paola.

Cliente desse tipo de serviço, a consultora Kátia Guimarães sempre põe na sala um pinheiro de 2,30 metros. "Dá muito trabalho montar e desmontar. Então contrato o serviço completo. Quando acabam as festas, enfeites são embalados corretamente, não quebram. Assim, há cinco anos não troco a decoração."

Os valores do serviço variam. Nas lojas de Cecilia Dale, é preciso ser cliente e ainda pagar R$ 1 mil. A Valencien - loja de cama, mesa e banho - monta a mesa da ceia de Natal sem taxa adicional. A arquiteta Fernanda Negrelli cobra 10% em cima do que foi gasto na decoração natalina pelo serviço de "personal Natal".

"Nem todo mundo gosta de arrumar árvore. Muitos não têm paciência nem tempo", diz a arquiteta, que trabalha com a sócia, Andrea Teixeira. "Há cliente que, ao contrário, adora o ritual da árvore, mas fica inseguro quanto à disposição dos enfeites", diz Fernanda. Um truque, segundo a dupla, é usar árvore monocromática. "Fica mais chique", afirma Andrea.

Marilda, no entanto, fez questão do colorido tradicional do Natal. Para deixar o pinheiro original, Fernanda sugeriu borboletas vermelhas. "Comprei 60 unidades, de tecido brilhante. Ficou um sonho", diz a empresária, feliz com o Natal planejado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.