TV Estadão | 03.04.2015
TV Estadão | 03.04.2015

Peritos remontam helicóptero para confirmar erro em manutenção da hélice

De acordo com as investigações, antes do voo que matou cinco pessoas, a equipe de manutenção trocou uma pá do rotor principal

Diego Zanchetta, O Estado de S. Paulo

04 Abril 2015 | 13h59

Peritos da Aeronáutica e do IC (Instituto de Criminalística) terminaram de recolher neste sábado, 4, em Carapicuíba, na Grande São Paulo, as peças do helicóptero que caiu com o filho do governador Geraldo Alckmin (PSDB) e outras quatro pessoas. Agora, para tentar confirmar se realmente foram as pás da hélice da aeronave que se soltaram logo após uma manutenção nesse equipamento, os peritos precisam tentar reconstruir o Eucopter EC-155 B1, de fabricação francesa.

As peças recolhidas estão em um galpão do Seripa (Serviços Regionais de Investigação e Prevenção de Acidentes) no Campo de Marte, na zona norte de São Paulo. Durante mais de 20 horas, 20 funcionários, entre peritos, agentes da Defesa Civil, investigadores e Bombeiros, fizeram o trabalho de remoção de destroços dentro do Condomínio Fazendinha. Na sexta-feira os peritos do IC localizaram três pás da hélice da aeronave.    

Segundo a Delegacia Seccional de Carapicuíba, responsável pela investigação do caso, o helicóptero caiu logo após decolar para um voo teste de balanceamento. Nesse trabalho de manutenção antes do voo houve a troca de uma pá do rotor principal, de acordo com a polícia. 

Os peritos da aeronáutica tentam agora, com a remontagem do avião, confirmar a relação entre a peça e a tragédia que matou o filho de Alckmin e o piloto Carlos Haroldo Isquerdo Gonçalves, de 53 anos, e os mecânicos Paulo Henrique Moraes, de 42 anos, Leandro Souza, de 34 anos e Erick Martinho, de 36 anos.

A Helipark não se pronunciou sobre o serviço de manutenção feito na aeronave dentro da garagem da empresa, de onde a aeronave decolou. As seis testemunhas do acidente ouvidas logo após a tragédia pela Polícia vão prestar depoimentos oficiais no 1º DP de Carapicuíba na segunda-feira.

Mais conteúdo sobre:
Helicóptero acidente Alckmin

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.