Perigo no Real Parque

O Real Parque está à mercê de bandidos. As pessoas que moram ou trabalham nesse bairro vivem em clima de terror. Nas últimas 2 semanas houve 4 assaltos à mão armada nas Ruas Barão de Monte Mor e Adalivia de Toledo e várias tentativas de assalto nos carros parados na Ponte do Morumbi, próximo à Rua Francisco Tramontano. No dia 9/8, às 20h30, houve um assalto à mão armada na Drogaria São Paulo da Rua Visconde de Nacar. Uma das vítimas foi meu pai, de 76 anos, que fora comprar remédio para o coração - ele é cardíaco - e teve uma arma apontada por alguns segundos. Um executivo foi assassinado numa tentativa de assalto na rua próxima. As padarias da região são freguesas dos ladrões e não podemos mais andar a pé. A Associação de Moradores está se organizando, mas a resposta que obteve da Polícia Militar (PM) foi que, com a montagem de um posto em frente ao Shopping Cidade Jardim, não é possível colocar um outro.

, O Estado de S.Paulo

21 de agosto de 2010 | 00h00

STELLA KOCHEN SUSSKIND / SÃO PAULO

A PM esclarece que a Base de Segurança que às vezes fica em frente ao Shopping Cidade Jardim é móvel, por isso, ela é realocada de acordo com a necessidade, baseada sempre nos índices criminais da região. Diz que as informações fornecidas foram consideradas no planejamento operacional da 2ª Companhia do 16º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano que faz o policiamento da região. Esclarece que o local é considerado área de interesse de segurança pública e recebe atenção especial. Responde que, nos meses de janeiro a junho, o policiamento localizou 104 veículos que foram roubados ou furtados, prendeu 202 criminosos em flagrante e apreendeu 17 armas de fogo na região.

MUITO BOM PARA O LAZER

Mas não para trafegar

A reportagem sobre as atrações do bairro de Pinheiros, Fase de crescimento. Aos 450 anos, o bairro de Pinheiros está renascendo. E ficando mais divertido, do suplemento Divirta-se, de 13/8, não pode ser acusada de falsear a verdade. O bairro sofreu sérios abalos urbanísticos nos últimos tempos e deve repetir o charme da Vila Madalena em atrações. Todavia, ele tem a pior pavimentação do entorno. A Rua Mateus Grou, elogiada pelas ótimas opções de lazer, é a pior entre muitas que estão esburacadas. O motorista que passa por lá sente que está trafegando num tobogã. A subprefeitura deveria aproveitar a recente aprovação de verba para pavimentação e recapear essa rua. Com certeza as atrações ficariam melhores.

RUI GUILHERME GRANZIERA / SÃO PAULO

Sou morador de Pinheiros e não posso deixar de reclamar do descaso da Prefeitura com as condições das ruas do bairro. A Rua Artur de Azevedo parece uma pista de rali, pois há buracos (novos e velhos) e irregularidades. A minha rua, a Mateus Grou, tem valas enormes formadas pelo terreno que cedeu após consertos malfeitos. Além disso, há duas lombadas. Essas ruas precisam de recapeamento e que seja consertada a sua sinalização. O cruzamento com a Rua dos Pinheiros sofreu uma obra de reparo há 6 meses, mas a faixa de pedestres ainda não foi pintada.

OTAVIO CENTOLA / SÃO PAULO

A Secretaria de Coordenação das Subprefeituras informa que nos próximos dias as Ruas Mateus Grou e Artur de Azevedo serão vistoriadas por um agente da Superintendência das Usinas de Asfalto para verificar a necessidade da inclusão das vias nas próximas etapas do programa de recapeamento. No entanto, esclarece que, para amenizar possíveis transtornos, a Subprefeitura Pinheiros já programou o serviço de tapa-buraco no local. Diz que a Prefeitura investiu R$ 18,5 milhões no mês de agosto para o recapeamento das ruas da cidade.

RUA BRASÍLIA

Motos pioram trânsito

Desde abril reclamo para a CET sobre o grande número de motos estacionadas na Rua Brasília, no Itaim Bibi. Elas ficam estacionadas das 7 às 19 horas e já contei 30 em frente ao meu condomínio. Os moradores têm dificuldades para entrar e sair do prédio e o tráfego é intenso, pois há duas escolas nas proximidades e é permitido estacionar nos dois lados da via.

FERNANDA BONACHELA / SÃO PAULO

A CET informa que a Rua Brasília tem regulamentação especial com zona azul mesclada com permissão de estacionamento sem cartão por 15 minutos nos horários de entrada e saída de alunos. Responde que disciplina o estacionamento de motos. Diz que ao adotar Zona Azul numa rua, cria bolsões específicos e proíbe o estacionamento de motos nas vagas rotativas. Informa que desenvolverá um projeto para ajustar o bolsão da rua, que terá uma placa regulamentando a proibição de motos. Como ela foge do padrão do sistema, ainda está sendo criada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.