Perícia conclui que policiais balearam juiz

Dois policiais civis que participaram de uma blitz no sábado à noite, no Rio, e atiraram contra um carro, ferindo o juiz federal do trabalho Marcelo Alexandrino da Costa Santos, seu filho de 11 anos e a enteada de 8, foram indiciados ontem por tentativa de homicídio. O juiz estava na Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá e retornou com o carro ao ver a blitz, achando que era feita por bandidos. A primeira versão dos agentes era a de que os tiros tinham partido de bandidos que fugiam da blitz.

Talita Figueiredo, O Estado de S.Paulo

07 de outubro de 2010 | 00h00

Ontem, a Corregedoria Interna da Polícia Civil indiciou os policiais Bruno Rocha Andrade e Bruno Souza da Cruz. Segundo a corporação, a perícia confirmou que as balas partiram do fuzil que estava com Andrade. Cruz foi indiciado porque fez disparos e sustentou a versão falsa.

Em nota divulgada pelo Hospital Pasteur, onde está internado, o juiz disse que "nada há de mais aterrador do que um agente público, que de nós deveria cuidar, disparando arma de fogo apenas para exibir um poder que, fora dos limites legais, não existe". Santos foi atingido no tórax e seu estado é estável. As crianças estão em estado grave.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.